Pérolas africanas defrontam França para as classificativas

Por:Kiameso Pedro

A Selecção Nacional sénior feminina de andebol mede forças hoje com a França, no Pavilhão Aqua Kumamoto, Japão, para as classificativas do 13º ao 16º posto, a partir das 12:30 (tempo de Angola). Neste encontro, a França parte como favorita, uma vez que possui jogadoras que militam nas melhores ligas do “velho continente”. Aliás, as francesas são as campeãs em título, porque derrotaram a Noruega na final do Campeonato do Mundo da Alemanha em 2017, por (23-21).

Por conta disso, as campeãs africanas reconhecem as dificuldades que irão encontrar. Ainda assim, as comandadas do dinamarquês Morten Soubak vão entrar na quadra com o único pensamento que passará pela conquista da vitória. Para ultrapassarem os intentos das francesas, as Pérolas africanas são obrigadas a jogar no contra-ataque, bem como evitar falhasdefensivas. Ontem, o seleccionador nacional corrigiu os aspectos que se apresentaram com falhas no desafio diante da equipa de Cuba. Apesar da vitória por 40-30, Morten Soubak vai trabalhar a transição defensiva, organização nas saídas para o ataque, bem como a pressão sobre o adversário.

Outras partidas: No Pavilhão Park Dome Kumamoto, a Argentina mede forças com a Hungria, a partir das 12:30, ao passo que Cuba terá pela frente a Austrália. Por seu lado, a China vai defrontar o Cazaquistão, ao passo que o Brasil, campeão em 2013, bate-se com a Eslovénia. No Kumamoto Prefectural Gymnasium, o Senegal joga com a República Democrática do Congo (RDC).

O atleta Afonso Armando venceu, ontem, a 2ª corrida e caminhada em atletismo denominada “cuide bem da vida”, promovida pela antiga escola do distrito urbano do Benfica, actual 9001. A prova surge, numa altura, em que aquela instituição celebra os seus 30 anos de existência. Em declarações a O PAÍS, Afonso Armando, que percorreu a Avenida Fidel de Castro numa distância de 5 quilómetros, mostrou-se feliz pela vitória, mas lamentou a organização da prova. “Estou feliz, mas não gostei da organização”, disse.

O director geral da Escola 9001, Pedro Baltazar, lamentou a ausência do INEMA e dos Serviços de Proteção Civil e Bombeiros, de modo a garantirem a segurança da prova. Ainda assim, Pedro Baltazar fez ba lanço posit ivo da competição, uma vez que decorreu sem sobressaltos. Já José Sayovo, um dos convidados do evento, disse estar satisfeito pelo convite que lhe foi feito, e incentivou as outras instituições a seguirem o exemplo da escola 9001, de modo a promoverem regularmente actividades do género.

leave a reply