Angola piora classificação no Índice de Desenvolvimento Humano

Angola, Brasil, Guiné-Bissau e Guiné Equatorial pioraram no ano passado as suas classificações no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das Nações Unidas, publicado hoje na Colômbia, enquanto Cabo Verde e São Tomé e Príncipe tiveram prestações positivas

Plataforma Media
O Índice de Desenvolvimento Humano, que integra o Relatório de Desenvolvimento Humano de 2019, analisou os progressos de 189 países em matéria de desenvolvimento humano, centrando-se este ano nas desigualdades.

Segundo os dados, Portugal, o único lusófono no grupo de países de desenvolvimento muito alto, manteve-se na posição 40, enquanto o Brasil, considerado de desenvolvimento alto, caiu um lugar, de 78 para 79.

Angola, que integra com Cabo Verde, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial o conjunto de países de desenvolvimento humano médio, foi o lusófono que mais caiu na avaliação, passando da posição 147 para a 149.

Também a Guiné Equatorial desceu da posição 143 para a 144.

Cabo Verde subiu do lugar 128 para o 126, São Tomé e Príncipe passou do 138 para 137 e Timor-Leste manteve-se no lugar 131.

Guiné-Bissau e Moçambique mantiveram-se nos últimos lugares da lista dos países com baixo desenvolvimento humano com a Guiné-Bissau a descer da posição 177 para a 178 e Moçambique a permanecer na posição 180, sendo o 9º pior país do índice

error: Content is protected !!