Governo sombra defende melhorias na vida da população

Diante dos vários problemas que a sociedade enfrenta, o governo sombra da UNITA promete que será uma verdadeira oposição ao Governo do Presidente João Lourenço, para que haja melhoria na vida dos cidadãos

Por:Maria Custódia

Em declaração a OPAÍS,o primeiroministro do governo sombra do partido UNITA, Raul Danda, referiu que o país está com o rumo errado, precisa de acertar para que se traga satisfação e bem-estar para os cidadãos. Por esta razão, pretende manter o olhar atento àquilo que são as políticas públicas desenvolvidas pelo Executivo. Para o político, “a UNITA é um partido que tem vocação para o poder, tem um programa de governação e tem mostrado ao Executivo e aos cidadãos que estando no poder a governação será melhor”.

O país, disse, encontra-se numa situação onde a sociedade está doente, degradante e com falta de tudo, as famílias estão cada vez mais empobrecidas, aumenta o custo de vida e o índice de desemprego, os serviços de saúde não são dos melhores, falta estradas, energia eléctrica, água e outros serviços básicos. Raúl Danda manifestou que diante dos vários problemas que a sociedade enfrenta o governo sombra da UNITA promete que será uma verdadeira oposição ao Governo do Presidente João Lourenço. A seu ver, a crise económica e financeira também afecta o fórum social. “Precisamos de ter um país, e é um país que nós ainda não temos”, disse. Por outro lado, Danda lamentou o facto de muitas pessoas estarem a “fugir do país” à procura de melhores condições de vida, uma situação a que se assistiu nos primeiros anos da sua independência. O deputado considera que quando os cidadãos se vão embora é porque o país deixou de produzir esperança para eles.

“Precisamos de recuperar esta esperança mostrando aos cidadãos que Angola pode ser um país muito bom para se viver. Mas para isso temos de ter governantes que sejam muito bons, que olham em primeiro lugar para a resolução dos problemas do povo”, rematou Raúl Danda foi um dos cinco candidatos ao cargo de presidente da UNITA, corrida que foi vencida por Adalberto Costa Júnior, que o convidou para fazer parte do seu elenco, como primeiro-ministro do governo sombra. Prometeu na sua campanha, em caso de vitória, promover a abertura do partido para a cidadania, colocando-o mais próximo do cidadão e tornálo, cada vez mais, num instrumento de luta dos angolanos para a defesa dos seus direitos. Também já exerceu o cargo de vice-presidente e presidente do grupo parlamentar daquele partido.

error: Content is protected !!