Impeachment: Democratas apresentam texto de acusações de abuso de poder e obstrução do Congresso contra Trump

Comité Judiciário da Câmara dos Representantes, onde os rivais do Presidente têm maioria, vai votar para decidir se recomenda ou não que a Casa aceite as acusações e denuncie Trump formalmente por crimes e delitos

Os Democratas da Câmara de Representantes dos Estados Unidos apresentaram, nesta Terça- feira (10), o texto com as acusações de abuso de poder e obstrução do Congresso contra o Presidente americano, Donald Trump, que serão votadas na Casa contra ele. O Comité Judiciário da Câmara vai votar, provavelmente a partir desta Quarta (11), se recomenda ou não que a Câmara aceite o texto com as acusações – chamadas de artigos de impeachment – e denuncie Trump formalmente por crimes e delitos.

Se isso acontecer, ele será o terceiro presidente a passar por isso na história americana – depois de Richard Nixon e Bill Clinton. “É um crime passível de impeindígeachment o Presidente exercer os poderes do seu cargo público para obter um benefício impróprio e impessoal, enquanto ignora ou prejudica o interesse nacional”, afirmou Jerrold Nadler, Democrata da Câmara, que apresentou os artigos de impeachment. “Isso é exactamente o que o Presidente Trump fez, quando solicitou e pressionou a Ucrânia a interferir nas nossas eleições de 2020 – prejudicando a segurança nacional, minando a integridade da próxima eleição e violando o seu juramento ao povo americano. Essas acções, além disso, são consistentes com os convites anteriores do Presidente Trump à interferência estrangeira nas nossas eleições presidenciais de 2016”, completou.

Obstrução ao Congresso Adler afirmou ainda que, quando a Câmara o investigou e abriu um inquérito de impeachment, Trump “desafiou de forma categórica, indiscriminada e sem precedentes” o inquérito – o que levou à segunda acusação contra ele, a de obstrução ao Congresso. “Um Presidente que declara a si mesmo como acima de ser responsabilizado, acima do povo americano e acima do poder de impeachment do Congresso – que é feito para proteger as nossas instituições democráticas de ameaças – é um Presidente que vê a si mesmo como acima da lei”, afirmou Nadler. “Nós devemos ser claros: ninguém, nem mesmo o Presidente, está acima da lei”.

O jornal americano “The New York Times” destacou que os Democratas não acusaram Trump de suborno – o crime é explicitamente mencionado na Constituição americana como passível de ser punido como impeachment. Uma votação a favor do impeachment na Câmara levará a um julgamento no Senado – que tem maioria republicana. Lá, seriam necessários dois terços dos votos de todos os presentes para retirar o Presidente do posto.

O inquérito No cerne do inquérito de impeachment da Câmara, que tem maioria Democrata, está o pedido feito por Trump para que a Ucrânia lançasse uma investigação sobre o seu adversário político, Joe Biden – um dos favoritos à indicação democrata para enfrentar Trump nas eleições presidenciais de 2020.

error: Content is protected !!