Segundo pacote de ajuda alimentar presidencial já no Cunene

Segundo pacote de ajuda alimentar presidencial já no Cunene

Trata-se do segundo lote de ajuda alimentar enviado por iniciativa do Presidente da República, em resposta aos efeitos da seca que assola o Sul do país desde Outubro de 2018. No primeiro lote foram 300 toneladas de bens diversos. Entre os bens alimentares constam fuba de milho, óleo, arroz, sal, leite, bolachas, sumos e conservas. Em declaração à ANGOP, a administradora municipal da Cahama, Lurdes Oliveira, disse que 25 por cento dos bens seguem para o município do Curoca e os restantes serão distribuídos nos outros cinco municípios.

O Cunene vive, desde Outubro de 2018, uma acentuada crise, com 880 mil e 172 pessoas e um milhão de cabeças de gado afectados pela seca, que já causou a morte de 30 mil cabeças, entre bovino, caprino e suíno. No âmbito do plano de emergência de combate à seca e à fome, a província do Cunene beneficiou, este ano, de 3.9 mil milhões de kwanzas disponibilizados pelo Executivo que permitiu adquirir bens diversos. Devido à escassez de chuva, a campanha agrícola 2018/2019 no Cunene ficou comprometida, sem colheita nos 205 mil hectares onde estiveram envolvidos 99 mil camponeses.

As autoridades locais contam, actualmente, com 20 camiões cisternas e 400 reservatórios espalhados pelo território da província para a distribuição de água às populações. Está também em curso a reabilitação de 171 furos de água, uma média de 28 furos por cada município, num total de seis circunscrições. A seca no Cunene é um fenómeno cíclico, que remonta a 1995. Desde esse ano, de cinco em cinco anos vai ressurgindo, com intervalos de períodos de cheias. A seca deste ano é a mais devastadora dos últimos 24 anos da história do Cunene.