Mais 500 pessoas marcham em repúdio à situação económica do país

Mais 500 pessoas marcham em repúdio à situação económica do país

Por: Domingos Bento 

Foram perto de 700 pessoas que ontem, em Luanda, marcaram presença na marcha em repúdio à situação económica do país organizada pelo União Nacional dos Trabalhadores Angolanos (UNTA-CS). Em entrevista a OPAÍS, Manuel Viage, secretáriogeral da UNTA-CS, disse que a realização da marcha permitiu passar a mensagem do estado critico a que são submetidos muitos chefes de família que estão a ser atirados diariamente para o desemprego, em função da situação económica que o país enfrenta. De acordo com o sindicalista, a marcha decorreu com normalidade e não houve qualquer incidente a registar.

Por esse motivo, notou, dada a participação dos cidadãos e a importância do assunto, prevê-se realizar, no próximo ano, em Maio, a segunda manifestação do género, que vai ter sequência enquanto não houver alguma mudança ou política pública que possa devolver a capacidade do poder de compra das famílias. “As minorias também têm voz e as entidades de direito precisam de dar ouvidos. É preciso haver estabilidade nas famílias. As coisas estão muito difíceis. E, com essa marcha, procurámos dar um sinal de que urge a necessidade de se fazer alguma coisa em prol das populações”, frisou. Segundo ainda o sindicalista, a marcha decorreu em cinco províncias, nomeadamente, Luanda, Cabinda, Huambo, Namibe e Bié, sendo que a capital do país acolheu o acto central com a partida no Largo Manuel Alameda Van-Dúnem, passando pela Avenida Ho- Chi-Min até ao Largo da Independência.