MININT foca-se no combate aos incêndios florestais

O ministério do interior (MININT), por via dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, vai, a partir de 2020, melhorar os mecanismos de prevenção e combate aos incêndios florestais no Cuanza-Sul, por decisão dos membros do Conselho Consultivo Alargado provincia

Durante o evento que decorreu no Sumbe nos dias 12 e 13 deste mês, sob o lema “Por uma participação activa da população na segurança pública e abstenção da prática de justiça por mãos próprias”, os participantes acordaram combater as práticas culturais prejudiciais ao eco-sistema e à segurança do património individual e colectivo. No Cuanza-Sul tem sido prática, nos meses de Julho a Setembro, populares realizarem queimadas, alegadamente para preparar a terra para o cultivo, bem como para a caça de animais, de acordo com a Angop.

Em Setembro último, em algumas dessas acções de fogo posto, os incêndios propagaram-se de forma descontrolada em fazendas agrícolas, nos municípios da Quibala e Cela, causando danos aos empreendimentos e a 30 residências. Os culpados, os moradores locais incluindo autoridades tradicionais, afirmam ser uma prática ancestral que não tencionam abandonar por ser o meio pelo qual preparam a terra para o cultivo e, ao mesmo tempo, conseguem animais para a sua alimentação.

Para o êxito desse plano, o MININT prevê envolver toda a comunidade afectada, assim como reforçará a fiscalização com vista a se prevenirem novos casos. O conselho recomendou, igualmente a necessidade da actualização de planos operacionais de enfrentamento aos criminosos, com incidência para os de roubos contra pessoas, assim como redobrar as acções de combate a crenças de feiticismo que têm provocado a morte de muitos inocentes. Quanto à sinistralidade rodoviária, o MININT prevê intensificar a sensibilização aos cidadãos sobre as causas e consequências do desacato às regras de trânsito e a ordem pública.

Durante o IIIº trimestre do corrente ano, registaram-se no Cuanza- Sul, 86 acidente de viação, mais 11 em relação ao igual período anterior, com 13 mortos e 78 feridos. No que concerne a criminalidade foram registados 99 crimes, mais quatro em relação ao período anterior, dos quais 98 foram esclarecidos com 60 detidos. Durante o acto de encerramento do encontro o delegado provincial do MININT no Cuanza-Sul, Alexandre Canelas, ressaltou a importância da formação contínua e actualizada dos efectivos para melhor controlarem os eventuais casos susceptíveis de alterar a segurança e ordem pública Participaram no conselho, delegados municipais da Policia Nacional, Chefe dos Serviços de Protecção e Bombeiros, dos Serviços de Emigração (SME) e chefes de departamento.

error: Content is protected !!