Empresas nacionais podem entrar na gestão do Terminal Portuário de luanda

O Presidente do Conselho de Administração do porto de Luanda, Alberto Bengue, acredita que os empresários nacionais podem entrar na Concessão e Exploração do terminal Multiuso do porto de Luanda

Por:Patrícia de Oliveira

O anúncio foi lançado, ontem, dia 16, para as empresas interessadas, quer nacionais quer internacionais, procederem à participação no concurso, não existindo restrições, desde que sejam capazes de realizar investimentos e explorar um Terminal Portuário de grande dimensão. O terminal tem a maior cota de profundidade do Porto de Luanda que permite a atracagem de navios de grade porte. O mesmo movimenta grandes quantidades de carga contentorizada e tem duas valências, designadamente carga geral e carga contentorizada. Segundo o dirigente, as condições exigidas no concurso não condicionam as empresas nacionais a participar, porque no passado os empresários nacionais já assumiram o sector. “Temos operadores de vários continentes interessados, porém queremos também que os empresários nacionais participem no concurso”, explica. Alberto Bengue lembrou que as condições para aderir ao concurso são inúmeras. No entanto, é preciso recorrer a um fi nanciamento e ter capacidade de investir.

Requisitos para o concurso

Capital próprio realizado não inferior ao equivalente a USD 25 milhões, um volume de negócios médio anual dos últimos 3 exercícios fi scais não inferior ao equivalente a USD 100 milhões, um activo líquido não inferior ao equivalente a USD 100 milhões. No caso de associação de empresas, os requisitos referidos anteriormente deverão corresponder aos respectivos indicadores ponderados pela respectiva participação de cada empresa na associação. A Soportos geria o terminal multiusos do Portos de Luanda. A infra- estrutura portuária conta com uma área de 181 mil e 70 metros quadrados e uma capacida para movimentar anualmente 2.670.761 toneladas. O terminal foi concessionado num período de 20 anos e possui um cais de 610 metros .

Por outro lado, as empresas concorrentes deverão ter, directamente, ou através de subsidiárias, uma participação não inferior a 25% em pelo menos 3 operações de concessão de terminais portuários, nos últimos 3 anos, sendo que em pelo menos uma dessas operações tenham uma. Os portos são importantes geradores de desenvolvimento económico. Algumas grandes metrópoles são portuárias, como Xangai (China), Singapura, Dubai (Emirados Árabes) e Los Angeles (Estados Unidos), todas entre os 20 maiores portos do mundo. Por outro lado, são de grande importância para o desenvolvimento na medida em que expandem as oportunidades de mercado de players nacionais e internacionais ao ampliar a área de actuação das empresas, também aumentam a concorrência, que resulta em preços menores e maior competitividade.

error: Content is protected !!