Trump diz que EUA acompanham Coreia do norte de perto

Trump diz que EUA acompanham Coreia do norte de perto

“Eu ficaria decepcionado se algo estiver a ser preparado, e se estiver, nós resolveremos”, disse Trump. “Estamos a acompanhar bem de perto”, acrescentou. As tensões têm crescido nas últimas semanas, provocando temores de que os dois países poderiam voltar a uma rota de colisão que havia antes da retomada da diplomacia no ano passado.

O enviado especial para a Coreia do Norte, Stephen Biegun, chegou a Seul no Domingo, no meio a especulação de que ele poderia tentar salvar as negociações ao apelar à Coreia do Norte, que por sua vez prometeu tomar um “novo caminho” não especificado se Washington não aliviar a sua postura até ao final do ano.

Já na Organização das Nações Unidas, uma autoridade do Departamento de Estado dos EUA disse que o Conselho de Segurança não deve considerar “alívio prematuro das sanções” para a Coreia do Norte, uma vez que o país asiático “ameaça conduzir uma provocação em escala, recusando-se a se reunir para discutir a desnuclearização”.

China e Rússia propuseram, na Segunda-feira, que o Conselho de Segurança da ONU suspenda a proibição de exportação de alguns produtos da Coreia do Norte, como frutos do mar e têxteis, de acordo com um projecto de resolução visto pela Reuters, num movimento que o embaixador russo da ONU disse visar incentivar as negociações entre Washington e Pyongyang.