Ndaka Yo Wiñi este Sábado no hall da LAC – Luanda Antena Comercial

Ndaka Yo Wiñi este Sábado no hall da LAC – Luanda Antena Comercial

O músico, compositor e investigador, Ndaka Yo Wiñi, actuará amanhã, Sábado, a partir das 19 horas, no Ponto da LAC By Kitx, em Luanda. O concerto terá a duração de aproximadamente 2 horas, e será antecedido por uma feira gastronómica no espaço adjacente ao palco, a partir faz 17 horas. Em conversa com OPAÍS, esta Quinta-feira, o músico Ndaka Yo Wiñi, afi rmou que fará uma introdução em torno do conceito Olumdongu, uma temática ligada ao (Lwando). A viagem pela ancestralidade prosseguirá com canções e danças retratando os místicos tchingandji Namúso e Sakalumbu e outras personalidades, uma recolha do Centro e Sul de Angola.

O reportório de Ndaka Yo Wiñi, nome em Umbundu que em português signifi ca “A Voz do Povo”,
inclui temas do seu primeiro álbum de originais “Olukwembo”, lançado em 2018 no Memorial Dr. António Agostinho Neto. Sucessos como “Sekulu”, “Akuluve Ndamba”, “Lombolola”, “Tchove Tchove”, “Sukunzambi”, “Ame Ndilila”, “Tcingandji”, “Evamba”, estes últimos ilustrando um ritual de circuncisão, serão interpretados no concerto.

O reportório inclui também os temas, “Sandombwa”, “Njolela”, “Ndikalikenda”, e tantos outros. Ndaka Yo Wiñi, descendente de guineenses pelo lado paterno, é o nome artístico de Adriano Dokas, que nasceu a 5 de Janeiro de 1981 na cidade ferro-portuária do Lobito. Os seus pais e avós eram músicos e bailarinos, a quem seguiu os passos desde pequeno, o que lhe permitiu o contacto com as culturas tradicionais do Sul do país: Benguela, Huíla e Huambo, onde também aprendeu a falar fl uentemente a língua Umbundu. Aos 10 anos, Ndaka, seguiu para a cidade mais a Norte do país, Cabinda, onde viveu durante vários anos numa unidade militar. Com o passar do tempo, rapidamente adaptou-se à cultura e às línguas daquela localidade.

O seu talento, experiência e dedicação permitiram a sua integração nos movimentos culturais e na Banda Ngondji, o que lhe deu a oportunidade de investigar rituais tradicionais da região, participar em cerimónias de circuncisão e outras de cariz tradicional. A sua personalidade artística, enquanto cantor, compositor, e pesquisador cultural, é o resultado da herança da sua família e da vivência em várias comunidades, das quais da Catumbela, província de Benguela, onde nasceu, e no Cuima, no Planalto Central, terra da sua mãe. Esta vivência foi extensiva às localidades do Balombo, da Ganda, do Bocoio, província de Benguela, e do Huambo, local onde se deslocou várias vezes, para realizar pesquisas académicas.