Porto de Luanda regista queda na movimentação de cargas em 2019

Porto de Luanda regista queda na movimentação de cargas em 2019

Alberto Bengue referiu, ontem, que a movimentação de cargas em 2019 diminuiu em 9% em comparação com o período homólogo do ano anterior. O responsável acredita que os principais motivos tenham sido a queda do custo do barril de petróleo, a crise económica e a falta de divisas. “Em 2018, foram movimentas mais de 7 milhões de toneladas de carga diversa, contra as 6 milhões e 700 mil em 2019”, disse. Segundo ele, o mesmo cenário aconteceu com as importações, “daí a necessidade de se apostar na diversificação da economia para exportar produtos nacionais e trazer dinheiro ao país”.

Questionado sobre os principais produtos importados por Angola, o responsável salientou que nos últimos tempos foram importados carga de projectos, materiais de construção e bens alimentares, essencialmente produtos da cesta básica. O dirigente referiu que a movimentação de cargas se refere a todo o tipo de movimento realizado com a carga. A movimentação envolve o processo de saída da mercadoria do seu produtor até chegar ao destinatário, podendo ocorrer de diversas maneiras e servindo-se de diversos equipamentos.

Alberto Bengue garante que o terminal portuário tem capacidade para aumentar o volume das exportações, o que não acontece por falta de indústrias e produção em grande escala. “Temos um parque com capacidade para exportação, porque cerca de 70% é o que chamamos reexportação de contentores vazios. Angola exporta maioritariamente contentores vazios por falta de produtos para o efeito”, explicou.

Investimento em Segurança e Sinalização marítima em 2020 Para garantir maior segurança e sinalização marítima, a partir do próximo ano o Porto de Luanda vai apostar no sector e reforçar a fiscalização. “Estamos a orçamentar para 2020 um sistema de fiscalização para segurança marítima do Porto de Luanda”, disse. Em relação ao número de navios, o responsável referiu que reduziu em termos de quantidade, mas aumentou em termos de comprimento e capacidade.

O Terminal tem a maior quota de profundidade do Porto de Luanda, que permite a atracagem de navios de grande porte. O mesmo movimenta grandes quantidades de carga contentorizada e tem duas valências, nomeadamente carga geral e carga contentorizada. “Anteriormente o Porto de Luanda recebia navios com 170 metros a 200. Agora recebe navios com 300 metros”, esclareceu.