Crise: Crise e viagens

Crise:  Crise e viagens

O terminal de embarque do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro registou na Sexta-feira, enchentes anormais nos seus balc› es, devido ao fl uxo de passageiros que embarcaram para vários destinos, a fi m de comemorar a quadra festiva que se avizinha. Esta not’cia Ž da ANGOP e n‹ o deixa de chamar a aten• ‹ o, j‡ que por aqui apenas se fala de crise. Mas talvez as pessoas tenham planifi cado a viagem h‡ mais tempo, justamente para fugir da crise de Dezembro, h‡ muito adivinhada, ou, tambŽ m, est‹ o a gastar o pouco que t• m. Mas pode ser, tambŽ m, por a crise n‹ o estar t‹ o bem distribu’da como se pode pensar. H‡ quem pode pagar os pre• os altos das viagens uma e outra vez. Resta saber se s‹ o os que fazem dinheiro em tempo de crise, ou se os que t• m dinheiro acumulado e que mantŽ m os Ò luxosÓ . H‡ , entretanto, uma nota a registar nesta not’cia: o movimento Ž apenas de sa’da, se calhar a crise n‹ o convida ninguŽ