Editorial:Natal difícil…

Por:Ubetenkuto José Luena, Moxico

Ilustre director do jornal O PAÍS, saudações e votos de um Domingo abençoado em nome de Deus. Os dias que correm mostram que a saúde económica e financeira da República de Angola não é das melhores. Basta olhar para as condições sociais dos cidadãos que diariamente vão à busca do pão para a família. Está cada vez mais complicada a situação, mas é preciso ter fé em nome de Deus, Pai e todo poderoso. O Natal, festa da família, está às portas, no entanto, as condições para a sua materialização continuam a ser uma “maka” grande. O rendimento das famílias continua a ser insuficiente para responder aos gastos que se impõem. O preço dos produtos continua a subir e isso afecta directamente o bolso dos consumidores. As lojas, mesmo com publicidade, os produtos estão na montra à espera dos clientes. Um ovo, em Setembro, Outubro e Novembro custava 50 a 60 kwanzas, hoje está a 100 kwanzas. Muitas famílias estão a pensar em como e o que vão levar à cozinha para a feitura dos bolos na noite que antecede a Ceia Natalina. O preço das bebidas alcoólicas também é um problema daqueles.A cerveja subiu a 200 kwanzas, isto alterou a rotina de muitos consumidores. Os produtos da cesta básica são mais caros, o que não permite que o cidadão comum tenha acesso aos mesmos. Espero que 2020 traga bons ventos, porque o sofrimento é demais e não estamos a aguentar mais. Por isso, os operadores da economia angolana devem ter a responsabilidade de criar condições para atrair mais investidores e estimular a produção interna em vários domínios, para gerar emprego e as famílias se desenvolverem.

leave a reply