Fernando Cruz reencarna Dan Brown com a obra “Urgir do Tempo”

O jovem de 26 anos estreia-se nas letras com “Urgir do Tempo”, tendo como fonte de inspiração o autor do bestseller “Anjos e Demónios”, Dan Brown

Por:Adjelson Coimbra

Urgir do Tempo” é o título do livro da autoria do jovem Fernando Cruz, apresentado esta Sexta- feira, 20, no auditório do Memorial António Agostinho Neto, em Luanda. O volume, com 103 páginas, tem a chancela da editora portuguesa Chiado Books, e é um olhar sobre a “cura do cancro” no seu primeiro livro físico, um apelo ao senso de pesquisa. Fernando Cruz, que soma agora três livros no mercado das letras, revela que as suas obras têm a mesma estrutura que as dos livros de Dan Brown, como os quesitos de basear-se em factos e lugares reais, bem como o facto de o enredo desenrolar-se em apenas um dia.

“Será que o que o mundo nos tem a dizer sobre a cura do cancro é real, ou se calhar há alguém que não quer que encontremos a cura para o mesmo?” questionou. O autor realça que a história desenrola- se na África do Sul e retrata a vida de uma mulher angolana, Núbia Mitchell, que ao perder a sua mãe que padecia de cancro resolveu a cura desta enfermidade. Passados vários anos de intensa pesquisa, Núbia descobriu que a cura do cancro poderia mudar a vida das pessoas que padeciam desse mal. Porém, nem todos sentiram-se felizes com essa descoberta. Na véspera da publicação dessa descoberta, Núbia recebeu uma chamada de Ricardo, seu examante, que a informou de que havia envenenado o seu marido, Matthew Mitchell, e que o mesmo tinha poucas horas de vida.

Entretanto, a condição que se exigia a Núbia, para poder salvar seu cônjuge, era não revelar para o mundo a sua descoberta. Obediente, a protagonista viu o seu sonho de tornar-se uma heroína da Medicina a morrer e envolveu- se numa grande enrascada, chegando mesmo a estar entre a vida e a morte. No meio de tudo isso, Fernando Cruz levanta uma questão sobre se a melhor opção é ser altruísta e salvar milhares de desconhecidos ou deixar tudo para trás em nome do homem da sua vida.

Livro levanta hipotética conspiração

Além de mera reflexão sobre a cura do cancro, o livro levanta a questão do equilíbrio demográfico na terra, em que o vilão, quando abordado sobre o impedimento da grande descoberta, retorquiu que é tudo por uma questão de selecção natural. Presente na sessão do lançamento, o escritor Velho Kipacaça enalteceu a obra e confessou ter ficado boquiaberto quando a leu. “Não acreditei que foi ele quem escreveu. Pensei que fosse plágio. O Mancel, como o conheci, disse-me que era uma novela e a mim soube a filme, tanto que eu ‘triturei’ o livro em um dia”. Referiu que quando Fernando Cruz o pontualizou sobre o lançamento do livro, pensou que fosse mais um jovem com projectos utópicos, mas foi surpreendido.

Perfil

Formado em Engenharia de Telecomunicações, apaixonado pelo desporto e leitura, preferivelmente romances e livros de auto-ajuda. Tem como autor preferido Dan Brown, de onde obtém a sua fonte de inspiração para os enredos. Os seus primeiros passos no mundo da escrita deram-se ao improvisar e contar estórias para amigos chegados. Em 2016 escreveu a sua primeira obra intitulada “Os Dois Lados da Moeda”, que partilhou com amigos e seguidores das redes sociais. Desde então voltou a escrever duas novas obras “2 Minutos” e “O Urgir do Tempo”.

 

error: Content is protected !!