Desfile despropositado

Desfile despropositado

Que o Presidente da República tenha uma festa de Natal em que receba crianças órfãs e desfavorecidas de lares de acolhimento, ainda se aceita e mesmo assim eu não aceito bem, Acho que o Presidente da República deve abrir os jardins do Palácio a crianças. Apenas isso. Crianças. Independentemente da sua condição social. Quanto muito, o Presidente deveria visitar pediatrias de hospitais públicos e conviver um pouco com as crianças internadas, estão fragilizadas e necessitadas de carinho do Estado. No nosso caso então, nem vale a pena alongar-me mais sobre esta parte. O que é despropositado e humilhante é agora ver todos os ministros e gestores públicos feitos senhores caridosos a distribuir presentes aos pobres. Patético mesmo. O melhor presente que podem oferecer é governar bem, para que não haja pobres que não possam ter um presente de Natal, para que aquelas crianças tenham os lanches que lhes são servidos nestas ocasiões todos os dias, para que a alegria seja uma constante, para que haja cada vez menos lares de acolhimento de órfãos, abandonados e pobres. O Governo inteiro não deve substituir a sua obrigação por um gesto “caridoso”. É que se é mesmo para prestar atenção à criança, aquelas vão precisar de carinho, lanche e de brinquedos o ano todo. Assim como vão precisar de boa escola, boa assistência médica e medicamentosa e de carinho. Eu sei qual é a intenção, sei que não é por mal, mas o desfi le de ministros nisso tudo é despropositado. Aceitaria melhor que as festas de Natal para as crianças fossem organizadas pelas empresas em que trabalham os seus pais… ok, está quase tudo desempregado, desculpem!