Rescova assegura que problemas de Luanda não se resolvem com promessas

Rescova assegura que problemas de Luanda não se resolvem com promessas

O governante afirmou que o seu Governo tem recebido orientações expressas do Presidente da República, João Lourenço, no sentido de, cada vez mais, o poder ser exercido com a participação dos cidadãos, para permitir que as soluções sejam mais rápidas, no âmbito de uma governação participativa

Por:Domingos Bento

O governador de Luanda, Luther Rescova, disse que os problemas estruturantes que a província enfrenta não se resolvem com promessas políticas, mas com acções práticas. O governante entende que Luanda precisa de soluções efectivas e que tenham respaldo na vida diária dos cidadãos e não de meras promessas. Luther Rescova, que na semana passada queixou-se ao Presidente da República sobre a sobreposição de poderes existentes em Luanda, o que tem inviabilizado a governação local, disse que os problemas da capital do país são sobejamente conhecidos.

Alguns, frisou, dependem de maior disponibilidade financeira, mas os outros dependem de disciplina, acções e empenho de todos os cidadãos, desde governantes a governados. Neste sentido, explicou, o seu Governo tem recebido orientações expressas do Presidente da República, João Lourenço, no sentido de, cada vez mais, o poder ser exercido com a participação dos cidadãos, para permitir que as soluções sejam mais rápidas, no âmbito de uma governação participativa. “Mais do que falar, os problemas de Luanda têm que se trabalhar mesmo. Com todo o respeito ao resto do país, mas Luanda é das províncias onde há mais por se fazer do que falar. Como as matérias já estão diagnosticadas, agora é só ver a disponibilidade de recursos e a vontade de trabalhar das pessoas. Isso é que vai mudar”, defendeu.

Para Luther Rescova, a deslocação a nível das províncias e auscultação que João Lourenço tem vindo a manter com as comunidades, na sequência do seu programa de governação de proximidade, demonstra a importância que o Presidente manifesta na resolução dos problemas. E com Luanda não será diferente, pelo que, acredita, depois desta recente visita de trabalho e a auscultação de varias sensibilidades, os problemas da capital do país serão resolvidos com mais celeridade. “O esforço é geral. E cada um tem a sua responsabilidade. E com a orientação superior do Titular do Poder Executivo, o que nos resta é trabalhar nos vários domínios, no social e nas infraestruturas. Com os recursos disponíveis e a metodologia orientada nos termos da lei, certamente as mudanças vão sendo permanentes”, frisou.

Não cruzamos os braços

De acordo ainda com Luther Rescova, apesar dos enormes desafios que envolvem a sua governação, ainda assim o Governo da província tem procurado não cruzar os braços e todos os dias vem trabalhando para que, efectivamente, os problemas tenham soluções. “Há muito trabalho. E o que temos vindo a fazer é não cruzar os braços. E se cada dia formos fazendo, aos poucos, é melhor do que andarmos a prometer mudanças abruptas e que às vezes não são o que precisamos”, notou.

Recurso ao PIIM vai desafogar problemas

Por outro lado, o governador acredita que o volume de projectos inscritos no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) vai possibilitar que alguns problemas de Luanda sejam resolvidos de forma mais rápida. Neste contexto, frisou, os problemas ligados a macrodrenagem, estradas, saúde e educação constam entre os projectos inscritos no PIIM e que, seguramente, vão contribuir para uma maior qualidade de vida dos luandenses.