Angosat-2 construído já a 50 %

A construção do satélite angolano Angosat-2, (em substituição do Angosat-1), está a 50% e espera-se que até 2022 seja lançado em órbita, anúncio ontem o ministro das Telecomunicações e das Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha

A construção é consequência do protocolo complementar entre Angola e a Federação Russa ao contrato de fabricação do Angosat-1, lançado em Dezembro de 2017, mas que depois se perdeu no espaço. O Angosat-1, um investimento do Estado angolano de 320 milhões de dólares (269,6 milhões de euros), foi lançado a 26 de Dezembro de 2017. O contrato previa, no caso da impossibilidade de colocar em órbita o Angosat-1, a obrigação da outra parte em repor os serviços. É o que está a ser feito. O documento prevê também que, enquanto se espera pela construção do novo satélite, a contraparte deve compensar. Daíestar disponível um sinal de um satélite russo para Angola. Quanto às reformas em curso, falou do processo de privatização da Angola Telecom e os passos já dados para que sejam atingidos os objectivos preconizados. O ministro considera que o surgimento de novas empresas no sector é importante pelo facto de proporcionar mais serviços, qualidade e fazer a cobertura do território. José Carvalho da Rocha, que falava à margem da entrega da cesta básica a mais de 250 famílias carenciadas do bairro Huambo, distrito urbano da Samba, em Luanda, esclareceu que a iniciativa do sector visa proporcionar uma quadra festiva alegre a esta franja da sociedade.

error: Content is protected !!