Manifestantes e agentes policiais entram em confronto após invasão de e A stação de comboio em Paris

Manifestantes e agentes policiais entram em confronto após invasão de e A stação de comboio em Paris

Confrontos sem gravidade entre manifestantes e agentes policiais irromperam nesta Segunda-feira na estação Gare de Lyon de Paris, e uma greve nacional contra os planos de reforma da Previdência do presidente francês, Emmanuel Macron, entrou no 19º dia. A rede de televisão francesa BFM mostrou imagens do batalhão de choque confrontando um grupo de cerca de 30 manifestantes na Gare de Lyon, que é uma das estações mais movimentadas da capital e é muita usada por frequentadores de estâncias de esqui próximas dos Alpes. Os manifestantes soltaram sinalizadores e fogos de artifício, e a fumaça se espalhou pelo hall da estação.

As paralisações, que afectaram os preparativos para o Natal, também foram registadas noutras estações principais de Paris, como a Gare du Nord, que gere o serviço do Eurostar para Londres e Bruxelas, e a Gare de l’Est. “Eu entendo (a greve), mas não estou de acordo com isso, pois acho que todos os franceses estão sendo reféns dessa situação e é difícil para nós entender qual é o objectivo”, disse Damien Dremont, na Gare de L’Este. As duas semanas de paralisações contra a reforma de Macron, que descartaria pensões especiais para muitos servidores públicos e obrigaria os cidadãos a trabalhar até aos 64 anos para receber a reforma integral, vêm transtornando a rede de transportes da França. Os trabalhadores da indústria petrolífera francesa também devem votar a favor de uma paralisação nas refinarias como parte do protesto.