Governo investe mais de 3 mil milhões de kwanzas na construção da rede SIAC

O investimento feito pelo Governo permitiu a arrecadação para a Conta Unida do Tesouro (CUT) do valor de 192.500.458.172 kwanzas por via dos vários serviços que a unidade presta.

Domingos Bento

No âmbito da politica pública de simplificação e descentralização dos serviços da administração estatal, o Governo investiu, nos últimos anos, a quantia de 3 mil milhões, 693 milhões, 507 mil e 883 kwanzas para a construção de 13 unidades da Rede de Serviços Integrados de Atendimento ao Cidadão ( SIAC), que é um conceito de serviço público orientado para a transparência, funcionalidade e humanização com a utilização de tecnologia de informação e comunicação.

O investimento feito pelo Governo permitiu a arrecadação para a Conta Única do Tesouro (CUT) do valor de 192 mil milhões, 500 milhões, 458 mil e 172 kwanzas por via dos vários serviços que as unidades prestam. Só de 2017 a 2019, a rede SIAC emitiu 336 mil e 148 Bilhetes de Identidade, 105 mil 760 registos criminais, 131 e 209 cartas de condução e 3 mil e 836 livretes.

Ainda no mesmo período, foram registadas 93 mil e 624 crianças e atribuídos 200 mil e 695 números de identificação fiscal. Todos esses serviços foram emitidos em tempo célere, o que permitiu que os utentes ficassem menos tempo na fila de espera a aguardar pelo atendimento, como tem acontecido nas conservatórias e noutros serviços notariais.

O ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS), Jesus Faria Maiato, disse que, apesar da satisfação do público mediante a procura constante dos serviços prestados, ainda há necessidade de se continuar a estender a rede a outras partes do país, para permitir que os cidadãos despendam menos esforços quando precisarem de tratar documentos importantes para o seu dia-a-dia. Explicou que o Governo angolano investiu na construção da rede SIAC para permitir que os cidadãos tratem de vários assuntos num só lugar, sem ter a necessidade de se deslocar para outros pontos. “O cidadão tem a possibilidade de poupar esforços e tratar variados assuntos em tempo célere e com o respeito devido que as administrações públicas e privadas têm a obrigação de prestar a cada um dos utentes”, frisou.

Estender o SIAC em todas as províncias

Segundo ainda Jesus Maiato, tendo em atenção a enorme procura dos serviços pelos cidadãos, o Governo achou por bem estender o SIAC para todas as capitais de província, para evitar a movimentação de um lugar para o outro. Em Luanda, frisou, a grande necessidade prende-se com a zona Sul onde se assiste ainda à uma enorme procura pelos serviços.

“Por exemplo, a unidade de Talatona está a registar a presença de muitos cidadãos que são provenientes do Porto Amboim, o que pressupõe dizer que há toda a necessidade de estender os serviços de modos a evitar a essa movimentação”, apontou. Para o próximo ano, o governante deu a conhecer que entrarão em funcionamento outras unidades da rede SIAC, como são os caso da Huila, Luena e da Centralidade Marconi, no distrito de Ngola Kiluanje ( bairro Petrangol), município do Cazenga.

“A ideia é irmos expandido os serviços da rede para permitir que mais cidadãos tenham acesso e conheçam as vantagens de frequentar o espaço e usufruir de todos os serviços prestados”, frisou. Jesus Maiato, que falava durante o acto de inauguração do SIAC Kalawenda, no Cazenga, disse que os serviços têm a obrigação de continuar a fazer com que os cidadãos se sintam valorizados. Para o efeito, apelou a que os trabalhadores adoptem uma postura que contribua para um serviço

 

error: Content is protected !!