EDITORIAL: Números de alarme

EDITORIAL: Números de alarme

O Porto de Luanda manuseou, no terceiro trimestre deste ano, um milhão, 640 mil, 551 e 85 toneladas, tendo registado um decréscimo de 318 mil, 258 e 36 toneladas – uma diminuição correspondente a 16% em relação ao período homólogo de 2018. OPAÍS já o tinha noticiado, a ANGOP veio retomar o assunto e fi ca clara a estagnação da economia.

As estatísticas indicam também que a carga contentorizada registou uma redução de 16 por cento, enquanto a não contentorizada baixou 29 por cento. Em qualquer parte do mundo, estes dados dariam azo a uma discussão interna sem cessar, fariam tocar todos os alarmes, sobretudo porque se está a falar de importações, já que no lado da exportação o movimento é quase nulo, tirando o petróleo. A situação de Angola, pode-se dizer, é afl itiva.