Falcão dialoga com os Jovens do Movimento revolucionário

Prata Cume, um dos activistas participantes no encontro, disse, em entrevista conjunta a OPAÍS e à A Voz da América, nesta Quinta-feira, 26, que o encontro foi bastante produtivo, na medida em que conseguiram abordar, com o governador, questões sensíveis da vida económico-social de Benguela. “Há muito problema de lixo, as barcas estão sempre cheias”, refere, para quem Rui Falcão foi sensível e anotou as preocupações apresentadas por eles. E, segundo esclarece, o governador terá explicado os meandros à volta do projecto da refinaria do Lobito e o impacto que o projecto terá para a província de Benguela.

“O governador disse que quando cá chegou, encontrou o projecto da refinaria rasgado” e só foi reactivado depois de 9 dias de consulta dos dossiers. Ele disse que chamou a si a responsabilidade do dossier e o projecto já está na sua quarta fase”, disse. Prata Cume reconhece melhorias no que à energia eléctrica diz respeito, mas salienta que o mesmo não se diz em relação ao saneamento básico e às estradas, e cita como exemplo a rua Serpa Pinto, uma via estratégica para o tráfego pesado.

“Falámos das estradas, do mercado das Tombas (no município de Benguela, que apresenta sérios problemas de saneamento básico)”. Asseverou que os Jovens do Movimento Revolucionário pretendem manter este tipo de diálogo com o governador Rui Falcão.

Refira-se que ao longo deste ano, Rui Falcão viu a sua governação ensombrada por uma série de manifestações promovidas por estes mesmos jovens, que contestam a forma como dirige a província de Benguela. Foram várias manifestações, ao ponto de o governador denunciar a existência de financiadores de tais acções com o propósito de o desacreditar, por um lado, e, por outro, falava em exercício de um direito constitucional e legal.

Em entrevista a este jornal, esses jovens tinham desafiado Rui Falcão a revelar a identidade dos financiadores e, na mesma ocasião, prometiam levá-lo a tribunal, por causa de tais denúncias feitas em sede de uma reunião que manteve com a embaixadora norte-americana acreditada em Angola, Nina Fite.