Vice-presidente enaltece reformas em curso

Vice-presidente enaltece reformas em curso

O vice-presidente da República, Bornito de Sousa, enalteceu ontem, Sexta-feira, em Luanda, as reformas estruturais levadas a cabo pelo Executivo para a estabilidade económica do país. Na sua intervenção, durante a cerimónia de cumprimentos de fim de ano ao Presidente da República, sublinhou que as reformas visam corrigir “a pesada herança reflectida na economia, excessivamente dependente do petróleo, e uma grande concentração da dívida no curto prazo”.

Disse que as mudanças exigem “corajosas medidas” nos sectores financeiros, sobretudo em relação aos cambiais e preços, no ambiente de negócios e no domínio social. Segundo o vice-presidente Bornito de Sousa, a boa governação traduzida na transparência dos actos públicos, na diversificação da economia, moralização da sociedade e no combate à corrupção e à impunidade, constituíram-se nas linhas mestras da actuação governativa.

Declarou que foi atribuída a devida importância à agricultura empresarial e, sobretudo, à familiar, à industrialização e exploração mineira não petrolífera, ao turismo, à formação profissional e ao empreendedorismo juvenil e feminino. Falou, também, do enquadramento da economia informal e
da produção local de bens que integram a cesta básica como sendo cada vez mais evidentes.

O vice-presidente enalteceu, ainda, as medidas de consolidação do Estado democrático e de direito, permitindo a realização de acções nos domínios da segurança, justiça e da preparação da legislação autárquica. Elogiou a firmeza e determinação das acções que visam conduzir Angola ao desenvolvimento sustentável.

Bornito de Sousa destacou, igualmente, a acentuada estiagem do Sul de Angola, lembrando que esta exigiu a construção de infra-estruturas duradouras, e acções de solidariedade nacional para com as famílias afectadas.

Acompanhado da primeira-dama, Ana Dias Lourenço, o Presidente da República recebeu os tradicionais cumprimentos de fim de ano do vice-presidente Bornito de Sousa, do presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, e dos juízes-presidentes dos tribunais. Participaram, igualmente, no acto, procuradores, deputados, governantes, responsáveis dos órgãos de Defesa e Segurança, líderes dos partidos políticos, funcionários da Presidência da República, entidades religiosas e representantes da sociedade civil.

Com ANGOP