Resultados do ano agrícola foram “insucesso”

Resultados do ano agrícola foram “insucesso”

Os resultados do presente ano agrícola, no Moxico, ficaram aquém do desejado, devido à estiagem que assolou, sobretudo, os municípios do Sul desta província e a insuficiência de sementes e instrumentos agrícolas

O fracasso foi anunciado pelo governador provincial, Gonçalves Muandumba durante a cerimónia de cumprimentos de fim de ano. Para o governante, a colheita baixou consideravelmente, de 152,4 mil toneladas na campanha de 2017/2018, para 46,2 mil na presente época 2018/2019 – uma quebra de 106,2 mil em relação à safra anterior. Para dinamizar o sector, prometeu que o governo vai promover no próximo ano, debates com jovens desempregados para estimular a sua aderência às actividades agrícolas. Na ocasião, o governante apelou aos jovens interessados a encararem a oportunidade como uma “janela para o futuro”, com vista a minimizar a falta de emprego que se faz sentir na província. Além do envolvimento de jovens nas actividades agrícolas, disse ser necessário apoio financeiro para a compra de máquinas para transformar os produtos do campo e serem comercializados nos principais centros de consumo.Pediu para intensificar a divulgação dentro e fora da província do Moxico, das potencialidades da região em produtos como arroz, girassol, soja, mandioca, entre outros alimentos do campo. Augurou melhorias no sector agrícola, em 2020, com a entrega, em Novembro último, de equipamentos pesados e ligeiros de mecanização, a três empresas adquiridos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca. Com estes kits, explicou, serão constituídas três brigadas de mecanização agrícola para impulsionar a actividade dos camponeses. Gonçalves Muandumba anunciou, por outro lado, o reinicio em 2020 das actividades nas fazendas agrícolas de Camaiangala e de Sacassange, depois da realização dos concursos públicos, cujos vencedores não foram revelados.