Carta do leitor:Dificuldades à espreita logo no início…

Porr:Genito Marcolino, Viana,
Luanda

Director do OPAÍS, saudações nestes últimos dias do ano… Daqui a pouco, entramos para o Ano Novo, as expectativas são muitas. A crise económica e financeira que assola o país é uma das maiores preocupações dos cidadãos. Mas devo dizer que para mim a dor de cabeça começa logo com a confirmação de matrículas e os valores para a compra de livros. É verdade que se fez alguma poupança para o efeito, mas os preços subiram de tal forma que não chega. Assim, penso que as dificuldades serão as mesmas, por isso espero que os indicadores micro e macro-económicos sejam os melhores para 2020. O lanche das crianças e a compra de batas está na ordem do dia das zungieiras e de outros cidadãos da classe média alta, se é que existe em Angola. Queremos que o Executivo faça um esforço para atenuar a crise na vida dos cidadãos angolanos. Não está fácil, devo dizer que com o pouco que ganho, como funcionário público, terei muitas dificuldades para resistir o mês de Janeiro. A poupança serve para nada, apesar de já ter feito muitos cortes nas minhas despesas da quadra festiva. Olha que nem quero saber do Réveillon, festa da passagem de ano em que sempre me habituei a participar fora de casa. Com o peso das despesas em Janeiro, as dificuldades serão generalizadas e as reclamações serão variáveis dentro e fora de Luanda, uma vez que tudo é Angola. Por isso, meus irmãos, feliz Ano Novo e tenhamos forças para aguentar os percalços de 2020.