Ravina ameaça cortar circulação na En- 225

Ravina ameaça cortar circulação na En- 225

A progressão da ravina, com mais de 10 metros de profundidade, deveu-se a erosão do solo, devido às fortes chuvas que se registaram nos últimos meses na província. Na localidade de Salucunda, município do Cuilo, o problema é mais grave ainda, mais de 20 camiões com bens alimentares e combustível, encontram-se retidos desde o dia 31 de Dezembro, devido à degradação de cerca de 26 quilometros na mesma estrada.

A EN 225 é actualmente utilizada pelos automobilistas e principalmente camionistas para o transporte de bens alimentares, combustível e passageiros de Luanda para a região Leste do país e/ou vice-versa. Já a estrada nacional 230, pelo nível de degradação, propriamente nas regiões do Cuango e Xá-muteba, deixou de ser utilizada desde 2019, sendo assim, se se cortar a circular na EN 230, agudiza-se mais a situação e a região Leste do país pode ficar isolada.

 

Na Quarta-feira, 1, o governador Ernesto Muangala deslocouse ao município de Lóvua para se inteirar da situação e orientou o gabinete dos serviços técnicos e infra-estruturas na Lunda Norte para, a partir de Sexta-feira, começar os trabalhos de abertura de um uma via alternativa, enquanto se aguarda pelo início das obras de estancamento da ravina e da recuperação do troço. A abertura da via alternativa, segundo o governador, deverá contar com o apoio das empresas mineiras que operam na Lunda-Norte. As obras de reabilitação da EN 225, numa extensão de 504 quilómetros, tiveram início em 2012.