Chuva “afoga” Luanda

Chuva “afoga” Luanda

Duzentas e 50 famílias ficaram desalojadas de um número ainda incerto de residências ficaram inundadas. Estes são os resultados provisórios das 12 horas de chuva intensa que ontem caiu em Luanda, segundo o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros (SPCB). A estrada que liga Luanda a Benguela está em perigo

Oporta-voz do SPCB, Faustino Minguês, declarou, à imp r e n s a , que os municípios mais críticos são os do Kilamba Kiaxi, Cazenga, Viana, Talatona, Cacuaco e Belas, onde se notou o aumento dos níveis de água nas bacias de retenção.Os dados acima mencionados estão relacionados às ocorrências registadas só no Benfica, no Ramiros, as chuvas abriram três ravinas que ameaçam cortar a circulação na EN 100, que liga Luanda a Benguela, uma vez que começou a ruir o tapete asfáltico. Ainda no mesmo município, na via Expressa Fidel de Castro, nas imediações do restaurante Fininho, no sentido Benfica-Cacuaco,a estrada ficou inundada ao ponto de algumas viaturas não conseguirem circular.

Alguns dos automobilistas, para não danificarem os seus veículos, optaram por regressar, ao passo que, no sentido oposto, Cacuaco-Benfica, apesar de inundado houve quem prosseguisse a marcha, mas lentamente. Na esperança de que este momento ficasse registado e chegasse às autoridades governamentais, a fim de que sejam tomadas as medidas necessárias para que o sistema de macrodrenagem seja devidamente reparado, alguns munícipes filmaram e partilharam os vídeos nas redes sociais. Na mesma via, mais adiante, ainda no sentido Benfica-Cacuaco, um autocarro da empresa de transportes colectivos TCUL capotou na vala de drenagem.

Os passageiros tiveram que sair pelas janelas com a ajuda de algumas das pessoas que circulavam naquela via. Já na avenida Deolinda Rodrigues, no sentido Viana-1º de Maio, a enorme quantidade de água na estrada provocou um enorme congestionamento de viaturas. No sentido inverso, poucos circulavam, mas com a mesma prudência que se registava na via Expressa Fidel de Castro, no Benfica. “Senhor governador [Sérgio Luther Rescova] está bom assim? Está bom? Até [Toyota] Land Cruiser, um carro grande, ficou no terreno”, desabafou o autor de um dos vídeos que se tornou viral ontem nas redes sociais. Filmando uma transeunte que não teve outra saída senão pisar na água, o autor do vídeo desabafou:

“olha só a senhora! Se tiver um buraco ela pode perder a vida. Olha para isso senhor governador. Não está bom. Olha só para isso”. Na centralidade do Kilamba, algumas vias principais também ficaram inundadas, como aconteceu no retorno do quarteirão F, no sentido do quarteirão U. Já no quarteirão C, defronte ao edifício C 20, a forte ventania que acompanhou a chuva derrubou uma árvore. Já na urbanização do KK5000 ocorreram algumas inundações em algumas áreas de imóveis, porém, nada comparado ao registado nas zonas periféricas e periurbanas de Luanda. Na centralidade do Sequele o cenário foi contrário. Não se registaram situações do género.

Dados provisórios em números

250-Família desalojadas
148– Casas inundadas
6- Resgatadas no interior das residenciais
1- Casa desabou

INAMET prevê mais chuva para hoje

O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) prevê, até às 18h00 de hoje, chuva fraca ou chuvisco em alguns municípios das províncias de Luanda, Bengo e Cuanza-Sul, depois da intensa chuva registada na capital do país, na manhã de ontem, que desalojou 250 famílias. De acordo com o INAMET, ainda na região Norte teremos céu nublado durante a tarde, com períodos de muito nublado na madrugada e manhã em Luanda, Bengo, Cabinda, Zaire, Cuanza-Norte e chuva forte ou aguaceiros acompanhados, por vezes, de trovoada em alguns municípios do Uíge, Zaire, Cuanza-Norte Malanje, Lunda-Norte e Lunda- Sul. No Centro do país, a previsão indica céu pouco nublado ou limpo em Benguela, com períodos de céu nublado pela madrugada e manhã no Huambo e Bié e Moxico, com chuvisco em alguns municípios de Benguela e chuva moderada a forte em alguns municípios do Moxico e do Huambo.

No Sul, prevê-se céu pouco nublado ou limpo no Namibe, parcialmente nublado na Huíla, Cunene e Cuando Cubango, com chuva fraca em alguns municípios do Namibe. De acordo com o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros (SPCB), 250 famílias ficaram desalojadas no Distrito Urbano do Benfica, em consequência da chuva intensa registada na cidade de Luanda, além de casas inundadas e ruas alagadas, dificultando a circulação de pessoas e veículos automóveis. O balanço provisório aponta como municípios críticos Kilamba Kiaxi, Cazenga, Viana, Talatona, Cacuaco e Belas, onde se notou enchentes nas bacias de retenção das ruas. O município de Belas, sobretudo na zona das salinas, apresenta-se crítico, igualmente com ruas alagadas, além da destruição de uma casa em Talatona e o resgate de seis membros de uma família no interior de uma residência no distrito urbano do Benfica. As temperaturas extremas (mínimas e máximas) previstas para as principais cidades de Angola são: Luanda 24/30, N’dalatando 17/30, Cuito 15/26, Cabinda 24/30, Malanje 16/30, Luena 16/27 Sumbe 25/30, Dundo 21/28, Lubango 16/26, Caxito 24/32, Saurimo 18/28, Menongue 16/31, Mbanza Congo 21/31, Benguela 24/30, Moçamedes 20/29, Uíge 19/28, Huambo 10/24 e Ondjiva com 22/32 graus centígrados.