Serviços do MININT registam 2.847 crimes em 17 dias

Serviços do MININT registam 2.847 crimes em 17 dias

Por ocasião das festividades do Natal e do Ano Novo, o Ministério do Interior mobilizou os serviços executivos centrais (PNA, SIC, SME, SP e SPCB) para a execução de acções de prevenção e segurança pública. No período de 20 de dezembro de 2019 a 5 de Janeiro do corrente ano registaram-se 2.847 crimes, que resultaram na detenção de 2.223 pessoas como presumíveis autores. destes crimes, 2.050 tiveram intervenção policial

Os dados da operação de asseguramento de actividades festivas, que visou garantir que as festas decorressem num ambiente de harmonia social e de segurança, foram disponibilizados à imprensa, ontem, pelo Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior. Os dados apresentados, sobre a situação de segurança pública, dão conta de um total de 2.847 crimes, que chegaram ao conhecimento das forças e serviços de segurança, que resultaram na detenção de 2.223 elementos. Destes crimes, 2.050 tiveram a intervenção policial. Nos dias festivos (24, 25 e 31 de Dezembro de 2019 e 01 de Janeiro) registaram 825 crimes, dos quais 655 tiveram a intervenção policial, com a detenção de 723 elementos como presumíveis autores.

Importa frisar que, comparativamente aos dias festivos do ano 2018/2019, verificou-se mais 11 crimes. As províncias que registaram diminuições foram: Luanda 213 (-40), Benguela 59 (-18), Bié 56 (-6), Moxico 23 (-6), Lunda-Sul 22 (-6) e Cabinda 16 (-8). Porém, igualdade (28) crimes na L. Norte. Apesar de se ter registado um ligeiro aumento de crimes em igual período, em relação a 2018/19, as forças que temos vindo a destacar caracterizam que os últimos festejos do Natal e do Ano Novo aconteceram num ambiente social e a situação militar e de segurança pública estável em todo o território nacional.

Desavenças entre familiares ou pessoas conhecidas, após consumo de álcool, que resultaram em agressões mútuas e apetência sexual, constituindo 72% dos crimes de homicídios, violações sexuais e ofensas corporais, sendo que apenas 26% foram praticados por supostos marginais. Foram feitas 27.834 patrulhamentos ostensivos auto, apeado e motorizado, direcionados aos locais de maior índice criminal, sobretudo de crimes violentos; 1.144 barreiras policiais montadas nas estradas nacionais, interprovinciais e interurbanas, onde se realizaram paragem, fiscalização e identificação de cidadãos e veículos suspeitos; 19.678 interpelações, sendo 7.019 a viaturas, 4.769 a motociclos e 7.890 a transeuntes.

Dois mil e quatrocentos e dez cidadãos estrangeiros foram interpelados por situação migratória irregular, sendo 1.329 por violação da fronteira nas províncias da Lunda Norte (com 1.017), Zaire (253), Cabinda (33), Moxico (19), Cuando Cubango (5) e Uíge (2). Mereceu também destaque para a redução de (-10) crimes de natureza violenta praticados com recurso a armas de fogo, cujo cômputo representou 4% dos crimes registados. Neste particular, o MININT evidencia a eficiência e proactividade operacional conseguida com o acompanhamento da situação de segurança pública através do sistema de vídeo-vigilância, do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) e de viaturas especiais destacadas em focos delituosos previamente eleitos, na província de Luanda.