“Batalhão RM” homenageia patrono pela passagem do XV aniversário de morte

“Batalhão RM” homenageia patrono pela passagem do XV aniversário de morte

O legado artístico, nacionalista e guerrilheiro de Rui de Matos foi lembrado por formandos do “BatalhãoRM” (Rui de Matos) Artes, por familiares e amigos, ontem, 7, no Cemitério do Alto das Cruzes em Luanda, onde repousam os seus restos mortais há 15 anos. Segundo a gestora do “BatalhãoRM” (Rui de Matos) Artes, este projecto é a continuidade de um outro criado por Rui de Matos no ano de 2000, denominado “Artes Mar”, cuja finalidade era de contribuir de forma mais activa para a valorização das artes plásticas em Angola.

Esta iniciativa interrompida pela sua morte, foi assegurada a sua prossecução com o surgimento da Artes Matos, que, por sua vez, fez emergir, em 2017, o “BatalhãoRM” (Rui de Matos) Artes, cuja finalidade é acolher jovens anónimos com talento artístico a quem proporciona residência e formação artística. Além disso, os jovens beneficiam de assistência médica, condições para seguirem (obrigatoriamente) os estudos no sistema nacional de ensino e o motivador convívio com artistas consagrados com quem adquirem conhecimento e partilham experiências em ateliers e oficinas.

A homenagem surge precisamente para recordar os feitos deixados pelo artista Rui de Matos, durante toda a sua vida. Alguns dos formandos com rosto coberto por uma máscara, lamentaram na ocasião o facto de não haver a oportunidade de contacto com o mestre que aí jaz. “Esta é uma performance que demonstra como diante da morte todos são iguais. Quando se atinge esse estágio, não há qualquer diferença, nem racial nem qualquer outra. Estamos todos na mesma condição e em paz”, referenciaram os jovens, justificando a razão das máscaras.

Exposição

Agestorado projecto“BatalhãoRM” Artes, Lígia Matos, fez saber que a 26 de Maio do presente ano, a “AR-Magaleria” promove uma mostra com o objectivo de apresentar todo o espólio produzido por Rui de Matos, mas que não foi possível fazer chegar ao público. Além de produtos ligados às artes plásticas e à escultura, os visitantes poderão, igualmente, encontrar editados extractos de poemas escritos por Rui de Matos, que,. por esta altura, estão em fase de selecção, pois muitos deles foram deixados em rabiscos.

Formandos Questionada sobre os critérios de admissibilidade dos interessados em aulas e consequentemente integrar o “BatalhãoRM”, Lígia Matos salientou que que basta que o candidato manifeste interesse e tenha habilidade em qualquer um dos ofícios artísticos que não exclusivamente as artes plásticas. “Os formandos têm aulas de artes plásticas, pintura, desenho. Vamos começar com cursos de serigrafia e outras disciplinas artísticas. O projecto contempla, igualmente, aulas de alfabetização para senhoras, Dr oficinas de artefactos e outros”, apontou. Nesta altura, os formandos habilitam-se às aulas sem o pagamento de qualquer honorário, embora existam custos logísticos, que, segundo Lígia Matos, são suportados pelas vendas dos produtos produzidos pelos alunos, bem como a sua pensão mensal e ajuda módica dos cinco filhos.

Formandos

Questionada sobre os critérios de admissibilidade dos interessados em aulas e consequentemente integrar o “BatalhãoRM”, Lígia Matos salientou que que basta que o candidato manifeste interesse e tenha habilidade em qualquer um dos ofícios artísticos que não exclusivamente as artes plásticas. “Os formandos têm aulas de artes plásticas, pintura, desenho. Vamos começar com cursos de serigrafia e outras disciplinas artísticas. O projecto contempla, igualmente, aulas de alfabetização para senhoras, Dr oficinas de artefactos e outros”, apontou. Nesta altura, os formandos habilitam-se às aulas sem o pagamento de qualquer honorário, embora existam custos logísticos, que, segundo Lígia Matos, são suportados pelas vendas dos produtos produzidos pelos alunos, bem como a sua pensão mensal e ajuda módica dos cinco filhos.

O patrono

Rui Guilherme Cardoso de Matos nasceu em Luanda, aos 26 de Maio de 1943. Fez a sua instrução primária na capital, tendo frequentado o curso de pintura decorativa da Escola Industrial, quando em 1956 leva-o para Lisboa onde o matricula na Escola de Artes Decorativas de Arroios, e, posteriormente, nas escolas Regente Agrícola de Santarém e de Évora. Tem no seu currículo a feitura da escultura do Presidente Fundador da Nação, António Agostinho Neto, na Assembleia Nacional e o monumento da luta contra a poliomielite.