Carta do leitor: até quando é que se vai corrigir?

POR: Vita Panzo

Saudações director, José Kalingue; Antes gostava de agradecer a oportunidade por poder partillhar algumas ideias a respeito de um “fenómeno”, muito recentemente ocorrido por ocasião da forte carga de chuvas que a cidade de Luanda recebeu no último Sábado, e o transtorno causado na avenida Deolinda Rodrigues, vulgo “estrada de Catete”, precisamente entre a FTU e a rua F do Palanca. Muito recentemente o espaço estava inteditado para obras e julgavámos que o resultado, tendo em conta a demora para entrega da obra, fosse, de facto, melhorar a vida dos automobilistas, assim como dos transeuntes. A obra esteve a cargo do Ministério da Construção e Obras Públicas, que, alertado pelos técnicos de saneamento do GPL, simplesmente não os ouviram e o resultado é o actual caos. O trabalho não foi feito como devia ser, e até leigos dão conta de que há erro. Se, de facto a intervenção fosse eficaz, não viveríamos os constragimentos do último Sábado. O que se passa é que ao invés de se aliviar, complicou-se ainda mais, pois o trabalho foi mal executado e, como consequência, há aí um “barricão” que não permite que as águas escoem para o canal que está aí bem próximo. E como as demais valas estão entupidas, as águas não têm como escorrer e passam o limite do passeio. Uma intervenção mais técnica e melhor elaborada aliviria o stress de quem aí circula em ocasiões como a que passamos. Ainda assim, não estamos livres, porque a cidade continuará a receber chuvas, uma obra normal da natureza. Apelo a que se corrija, até porque estamos a viver sob o paradigma “corrigir o que está mal e melhor o que está bem”. Obrigado.

leave a reply