Protecção civil analisa medidas para contrapor efeitos da chuva

Protecção civil analisa medidas para contrapor efeitos da chuva

A reunião, que será presidida por Eugénio César Laborinho, o titular da pasta, contará com a participação de titulares de vários departamentos ministeriais, diz o subcomissário num comunicado de imprensa enviado a OPAÍS. Este encontro ocorrerá dias depois de centenas de casas e ruas terem sido inundadas em diversas províncias do país. Em Luanda, as chuvas provocaram a morte de três menores do sexo masculino.

Na Terça-feira, os especialistas do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros removeram os corpos de dois menores, de sete e 15 anos de idade, de valas de drenagem nos bairros da Boa-Fé e do Golfe, nos municípios de Viana e Kilamba Kiaxi. Um terceiro menor de oito anos encontra-se desaparecido, depois de ter sido arrastado nas bermas do Rio Cambamba, município de Talatona, local onde brincava. Aponta-se ainda 208 residências inundadas e 250 famílias que ficaram desalojadas.

No entanto, as autoridades consideram que os danos foram reduzidos, dizendo ter sido resultado dos trabalhos de antecipação de limpeza, reperfilamento, desassoreamento das valas, bem como a proibição de construções em zonas de risco e nas linhas da água. O Instituto Nacional de Meteorologia (INAMET) prevê chuvas intensas para Luanda na próxima semana e, por esta razão, o Governo Provincial apela à população que reside em zonas de risco para se prevenir. De igual modo, o lixo não deve ser depositado nas valas e obstruir os canais existentes.