Chuvas mataram 41 pessoas no país

Chuvas mataram 41 pessoas no país

Quarenta e uma pessoas morreram e duas mil e 498 famílias sofreram gravemente em consequência das chuvas que assolaram o país no último fim-de-semana (Sexta e Sábado), revelou, ontem, em Luanda o coordenador da Comissão Nacional de Protecção Civil, Eugénio Laborinho. As províncias de Luanda, Bié, Benguela, Huambo, Cuanzas Norte e Sul, Malange, Namibe, Uíge, Zaire e as duas Lundas foram as que mais danos sofreram, e o impacto negativo corresponde a 11 mil e 990 pessoas que directa
mente sentiram os efeitos das enxurradas.

Num comunicado de imprensa enviada à redacção de OPAÍS, a referida comissão, liderada pelo ministro do Interior, contabilizou 98 famílias afectadas, 378 residências destruídas, mil e 145 residências parcialmente danificadas, 975 residências inundadas, 12 igrejas destruídas e quatro pontes danificadas. “Como circunstância agravante aos danos acima mencionados, as chuvas estão a criar ravinas que estão a progredir de forma assustadora, ameaçando o corte da movimentação por estradas, destruição de infra-estruturas, bem como o desenvolvimento destas localidades”, disse Eugénio Laborinho.

A Comissão de Protecção Civil analisou também as consequências da seca que afectou predominantemente as províncias do Cunene, Huíla, Namibe e Cuando Cubango e parte das províncias do Cuanza-Sul e Benguela, tendo afectado um milhão,789 mil e 376 pessoas. O comunicado refere que a seca matou 30 mil e 823 animais, tendo afectado dois milhões, 246 mil e 50 cabeças de gado bovino e mais de um milhão de caprinos e ovinos.