EUA e Irão: crise continua

EUA e Irão: crise continua

O temor de que o Médio Oriente estivesse à beira de uma guerra mais ampla amenizou depois do discurso de Trump, na Quarta-feira, no qual evitou falar em novas acções militares, mas o próximo passo de cada lado no conflito não está claro. O Irão lançou mísseis contra instalações do Iraque que abrigam tropas norte-americanas em retaliação ao ataque com drone dos EUA que matou o poderoso general iraniano Qassem Soleimani, em Bagdad, no dia 3 de Janeiro.

O ministro das Relações Exteriores do Irão disse que isso “concluiu” a reacção de Teerão ao assassinato. As acções vieram na esteira de meses de uma tensão que cresceu de forma constante desde que os EUA se retiraram do pacto nuclear entre o Irão e potências estrangeiras, em 2018, e reactivou sanções que reduziram as exportações iranianas de petróleo e abalaram a sua economia.

Trump disse aos norte-americanos na Quarta-feira: “O facto de que temos essas Forças Armadas e equipamentos fantásticos, no entanto, não significa que temos de usá-los. Não queremos usá-los”. Os mísseis iranianos lançados contra bases militares no Iraque não feriram nenhum soldado dos EUA, disse. O Irão “parece estar a recuar, o que é uma coisa boa para todas as partes envolvidas”.