Editorial: À criança não se promete

Editorial: À criança não se promete

Joana Lina, a governadora do Huambo, prometeu, ontem observar e fazer valer os onze compromissos de protecção aos direitos da criança. Quando o disse, tinha junto a sim cem crianças de diversas escolas abrangidas por um projecto de ocupação de tempos livres, ou cursos, durante este período de férias. O Governo do Huambo está no bom caminho ao promover tal tipo de actividades para as crianças, um exemplo a seguir pelo resto do país. A seguir, não, a ultrapassar, tal como o Huambo se deve superar. Se se quer mesmo cumprir os compromissos, há um obrigatório, que passa pela dignidade da criança como pessoa humana, que vai crescer e reproduzir modelos. dêem-lhes escola. Que nenhuma criança angolana fique sem escola. Uma escola digna e edificadora