Festival esclarece ligação entre Capoeira e dança tradicional angolana

Promover o encontro entre os mestres e as comunidades numa dinâmica de transferência de conhecimentos é um dos principais objectivos do evento

O evento denominado “Engolo – I Festival de Capoeira Angolana” arranca na Segunda-feira, 13, no Museu de Antropologia, em Luanda, e visa demonstrar a relação entre essa modalidade ou expressão cultural e o Engolo, dança tradicional angolana. Além disso, o festival pretende dinamizar o conceito do Engolo e resgatar as raízes da capoeira angolana, promovendo a História e a Arte, bem como o encontro entre os mestres e as comunidades numa dinâmica de transferência de conhecimento. De acordo com o promotor do evento, João Reis, a ligação entre o Engolo e a Capoeira foi reconhecida pelo pintor angolano Pedro de Sousa, na década de 60.

Este, aquando da sua ida ao Brasil, em Salvador, e por ser conhecedor da tradição angolana, viu a capoeira a ser executada e logo associou-a ao Engolo, pertencente a etnia Nyaneka Humbe. Pedro de Sousa fez pinturas desta dança e apresentou-as ao mestre Pestinhas, representante da Capoeira Angola. Daí ficou registado que a Capoeira veio do Engolo. Por seu turno, para João Reis, a importância desse evento prende-se ao facto de dar-se a conhecer as pessoas sobre a grandeza de o Engolo ser uma das bases da capoeira. “Porque a roda da capoeira é património imaterial da humanidade e ela, na verdade, é a roda do Engolo. Não há nenhuma roda de tradição africana igual à capoeira, excepto a do Engolo, a única que se encontrou até hoje”, acrescentou.

Programa O festival, que encerra no dia 19 de Janeiro, conta com cinco dias intensos de partilha, de troca de experiências, de know-how e de convívio pelos caminhos de Angola. Igualmente, vai contar com workshops de Capoeira Angola liderados pelo mestre João Grande, de 84 anos de idade considerado a lenda viva da capoeira. Engolo – I Festival de Capoeira Angolana terá visitas guiadas pelas terras, museus, locais emblemáticos de Angola e a degustação da gastronomia típica. Já no último dia, vai acontecer um espectáculo único que irá destacar Angola como um destino emergente para arte e turismo cultural.

Engolo

Chama-se Engolo ou N’golo (Jogo da Zebra), uma tradição Bantu proveniente da Huíla e Cunene, onde os jovens, para se casarem, faziam uma dança que era praticada numa roda ao som de cânticos e do batuque. Assim nasce o Engolo, uma dança tradicional angolana e um dos fundamentos da capoeira brasileira, mais rítmica, próxima do chão e transmitida de mestre para discípulo como um tesouro e forma usada pelos escravos vindos de Angola para combater a escravatura. Vale ressaltar que a Capoeira -Angola é uma dança, luta e jogo lúdico que envolve estilo, presença de espírito, flexibilidade e muita estratégia. O capoeirista (praticante de capoeira) faz movimentos que envolvem a disciplina mental e física. É uma arte fácil de aprender que envolve a filosofia de trabalho de equipa, partilha, respeito e ancestralidade.

error: Content is protected !!