Chuvas inviabilizam realização do projecto “Nosso Sítio de Cultura e Artes”

A maratona cultural com a exibição de diversas manifestações culturais é o mote do evento, inserido nas festividades do Dia da Cultura Nacional

A estreia do projecto “Nosso Sítio de Cultura e Artes”, sob a égide da Associação Unidos Por Angola, prevista para o último final de semana no centro comercial Nosso Centro, na ex-rotunda da Gamek, em Luanda, foi forçado ao seu adiamento face às chuvas que se abateram na cidade desde Sexta-feira, conforme justificou o membro da organização, Ginette Tomás. A agente cultural lamentou o facto de não ter sido possível realizar a primeira acção do projecto, cujo objectivo é o de dinamizar e massificar a cultura nacional, promovendo a criação de alternativas de lazer aos jovens, e não só, de modo a tornar o espaço num local em que as pessoas possam mais do que divertir-se de modo saudável, possam igualmente enculturar-se. A chuva foi o principal imbróglio da não efectivação da iniciativa, uma vez que as actividades decorreriam no quintal do centro comercial, mas a céu aberto.

Por essa razão, garantiu Ginette Tomás, não havia condições, quer para os expositores quer para os artistas, muito menos para o público, que estava ávido por testemunhar diversas manifestações num único local. Entretanto, nem tudo está perdido, segundo a organização, pois o espírito do Dia da Cultura Nacional ainda está “vivo”, uma vez que as actividades prosseguem até 24 de Janeiro, embora se trate de um projecto regular que o espaço do Nosso Centro passará a albergar. A actividade ora adiada, está prevista para ser realizada na próxima semana, caso as condições climatéricas permitam. “Lamentamos o facto de não termos realizado a actividade neste final de semana porque tivemos chuvas, e as previsões do INAMET apontavam para quedas de água nos dias seguintes e não mais queríamos arriscar. As condições estavam criadas e a comunidade estava mobilizada. A chuva é um fenómeno natural e esse é o único espaço disponível de que dispomos, ainda assim mantemos a esperança”, referiu.

Actividades

Como já foi avançado noutras ocasiões, a pretensão da Associação Unidos por Angola, visa transformar o “Nosso Centro” em “Nosso Sítio de Cultura e Artes”, com a realização de diversas actividades, embora o arranque tenha coincidido com o Dia da Cultura Nacional, assinalado a 8 de Janeiro cujas festividades prosseguem ao longo do mês em curso. “Estamos praticamente numa zona que nos aproxima quer do centro da cidade quer da zona Sul de Luanda. Nesse intervalo, existem poucos lugares com iniciativas culturais similares. Por essa razão, trazemos essa primeira proposta a que se vão juntar outras, todas com o objectivo de promover e dinamizar a Cultura neste ponto da cidade, mas com a qualidade de um produto cultural que há-de chegar ao público a dignificar o consumidor final”, ressaltou. Todavia, apesar de que os custos de produção não estejam a favorecer a organização, face aos preços do mercado, tendo em conta a crise que se agudiza no país, Ginette Tomás garantiu que a participação do público é totalmente gratuita desde que se predisponham a apreciar os eventos.

A associação

A Associação “Unidos Por Angola” é um grupo filantrópico sem fins lucrativos, que se junta, como parceiro do Estado, às celebrações do Dia da Cultura Nacional, data instituída ao abrigo do Decreto n.º 21/86 de 1 de Novembro, do Conselho de Defesa e Segurança, como consequência do importante discurso sobre as bases da cultura nacional proferido pelo Primeiro Presidente de Angola e fundador da nação angolana, Dr. António Agostinho Neto, a 8 de Janeiro de 1976, na sede da União dos Escritores Angolanos.

error: Content is protected !!