Editorial: Sob o signo da água

Jornal OPaís edição 1714 de 13/01/2020

Parece anedótico, mas não é. As pessoas de Ondjiva estão mesmo apanhadas por uma malapata qualquer que não as larga. depois da crise de água provocada pela seca, vieram finalmente as chuvas e tudo parecia começar a encaminhar-se para o rumo certo, mas há alegrias que não podem ser permanentes. E agora há pelo menos sete dias que não corre água potável por falta de produtos químicos para tratamento do líquido na estação local. Isto porque as águas das chuvas afectaram uma ponte na estrada que liga Benguela à Huíla e depois Cunene. Aquela ponte dá o seu show todos os anos, mas a solução definitiva depende de um Deus qualquer que está na sorna e não quer saber. E no Cunene continua a vida ao ritmo, ou sob o signo da água, abundante, ou em falta, mas que é um assunto e um sofrimento recorrente e sempre actual naquelas paragens

leave a reply