Primeiro-ministro Trudeau lutará por justiça pelas vítimas de acidente com avião ucraniano

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, disse aos participantes de uma vigília em homenagem aos mortos da queda de um avião ucraniano que vai “buscar justiça e responsabilização” pelo que aconteceu

O Irão informou que derrubou por engano um avião ucraniano na Quarta-feira, matando todas as 176 pessoas a bordo. Entre os mortos estão 57 canadianos, a maioria deles descendentes de iranianos, numa das maiores perdas de vidas que o Canadá sofreu em 40 anos. “Você pode se sentir insuportavelmente sozinho, mas não está sozinho.

O seu país inteiro está com você hoje à noite, amanhã e nos próximos anos”, disse Trudeau a 2.300 pessoas num ginásio de basquete em Edmonton, na província de Alberta, lar de 13 das vítimas, a maioria relacionada à Universidade de Alberta. Enquanto Trudeau discursava, caixas de lenços circulavam entre a multidão. Fotos das vítimas estavam no palco, ao lado de arranjos de pétalas de rosas, velas e pratos de tâmaras. “Esta tragédia nunca deveria ter ocorrido, e eu quero garantir a vocês que têem o meu apoio total durante esse tempo extraordinariamente difícil…

Vocês nos dão motivo para buscar justiça e responsabilização para vocês”, disse o primeiro-ministro, que pediu que o Canadá participasse na investigação sobre o acidente. “Não vamos descansar enquanto ainda houver lacunas”. Daniel Ghods disse que a sua namorada, Saba Saadat, estudante de Ciências Biológicas, era um “vislumbre de luz” na sua vida antes de morrer no acidente.

“Neste mundo em que vivemos, é fácil ficar insensível às tragédias que acontecem à nossa volta”, acrescentou. “Peço a todos que mantenham a sua humanidade e sejam gentis uns com os outros”. Os memoriais devem continuar por vários dias no país, incluindo vigílias à luz de velas.

error: Content is protected !!