Artistas debatem sobre ausência do instrumento musical Hungo” nos palcos

Depois da realização do presente encontro, os artistas pretendem reunir-se a fim de montar uma orquestra de Hungo, no âmbito do Festival Nacional da Cultura (Fenacult) que é realizado em Setembro do corrente ano

O Iº Encontro dos Executantes do Hungo no país é realizado hoje, às 18 horas, na Casa da Cultura do Rangel “Njinga Mbande”, no âmbito do seu projecto denominado “Tem um Semba em todo canto”. A actividade reunirá cerca de 10 artistas tocadores do instrumento musical e visa dar notoriedade aos seus trabalhos, através do debate sobre a sua origem, níveis de execução, processo de construção, legado com ensino às novas gerações, desde o regresso aos palcos às gravações discográficas. Trata-se dos percussionistas Jorge Mulumba, Lutuima Sebastião, Miguel Guelito, Zero Sere, Toni do Hungo, Caú do Hungo, Evaristo dos Mabubas, Nelo e o Ângelo que têm passado o legado sobre a existência do instrumento, através das suas performances.

O músico, instrumentista e pesquisador Jorge Mulumba, explicou que pretendem unir os executantes deste instrumento ao nível do país e discutir sobre a sua origem, a sua ausência dos palcos e das músicas contidas nos trabalhos discográficos, assim como as linguagens técnicas e rítmicas. “Se é um instrumento solista, por que é que os artistas não aparecem também nos programas televisivos a exibirem-se, de modo a dar maior visibilidade ao instrumento. Por isso mesmo, almejamos dar outra visibilidade ao Hungo, assim como aos artistas”, enfatizou.

Exibição

Durante o encontro, os talentosos vão mostrar as suas habilidades, através do processo de fusão com alguns instrumentos convencionais e o processo de afinação, composições criadas com o instrumento hungo. Jorge Mulumba avançou que, depois da realização deste encontro, pretendem reunir-se depois de três meses, com o objectivo de montar uma orquestrar de Hungo, no âmbito do Festival Nacional da Cultura (Fenacult), que se realiza em Setembro do ano em curso. “Tenho o Hungo como um dos principais instrumentos no meu trabalho. Sou seguidor do mestre Kituxi, um artista com mais de 60 anos de carreira. Por isso, queremos também que seja um programa selectivo, uma vez que pretendemos levá-lo às escolas ainda no ano em curso”, aferiu

O Hungo

A peça, também conhecida por m’bolumbumba, é um instrumento solista, de corda, de origem angolana, utilizado pelo povo Ambundu, das regiões de Luanda, Bengo, Malanje e Cuanza-Norte. É constituído por uma vara em arco, de madeira ou verga, com um comprimento aproximado de 1, 50 metros e um fio de aço (arame), preso nas extremidades da vara. Na sua base, é amarrada uma cabaça com o fundo cortado que funciona como caixa de ressonância.

error: Content is protected !!