Todo o futuro num só cartaz

O futuro é absolutamente sombrio. Catastrófico se depender da estudante da UPRA que exibe uma cartaz para fotógrafo ver numa matéria publicada por OPAÍS há uns dias. O texto referia-se a um protesto estudantil contra a subida do valor da propina no curso de medicina. “keremos solusão ágora”, estava escrito no cartaz que depois alguém fez o favor de corrigir com uma tinta vermelha por cima. Assim mesmo, queremos com K e solução com S no luga do C com cedilha. E, sim, um acento grave no A que inicia a palavra agora. Aterrador, tratando-se de jovens universitários. Alguém fez todos os níveis anteriores sem ter apreendido a escrever o básico. Obviamente que os seus professores devem ser piores. E mais, fez um teste de admissão e entrou numa universidade. Também aqui quem examina não sabe o mínimo exigível. Portanto, o problema é maior do que a aluna, é todo o sistema, de ponta a ponta. Há muito que se sabe que em Angola se passam certificados a “analfabetos”, mas no caso da medicina é mais do que isso, é uma licença para matar. Aquele cartaz atesta-o. Medicina é um curso muito caro, para ser levado a sério não há propinas que cheguem para o sua tentar. Ou o Estado subsidia, no seu próprio interesse, ou continuaremos alegres de equívoco em equívoco, com médicos que afinal nem sequer aprenderam a escrever.

error: Content is protected !!