Obra literária “O Divórcio não É a Solução” adaptada ao teatro

Assim como o livro, de autoria do escritor angolano Isaías Camuanda, a peça, segundo o colectivo de Artes 1.º de Maio, é uma terapia para as famílias, por reafirmar a experiência de que “o divórcio não é saudável para o santo matrimónio”

O colectivo de artes 1.º de Maio estreia a adaptação do livro “O Divórcio não É a Solução”, do escritor angolano Isaías Camuanda, em peça teatral, no dia 24 de Janeiro, com reposição no dia 25 (as duas sessões às 20 h), na LAASP, em Luanda. Assim, segundo o director do colectivo, Ângelo Cristóvão Neto, tal como o livro é uma terapia para as famílias, a peça também será, pelo facto de trazer elementos necessários para mostrar que o divórcio não é um caminho viável para o casamento. Entretanto, “O Divórcio não é a Solução”, segundo o director do colectivo, narra a vida do casal Luciano e Claudeth Vieira que decidem unir-se e caminhar juntos até que a morte os separe.

Porém, no enredo o casal enfrenta várias crises como tendência de traição, desemprego, fracasso nos projectos financeiros, dívida de impostos, insegurança, intervenção exterior dos familiares na relação, entre outros vários problemas. “O colectivo, ao adaptar esse livro, exalta, sobretudo, o valor do casamento. E passa a ideia de que o casal feliz transmite segurança aos filhos e à sociedade, visto que os conflitos entre casais podem afectar em todos os sectores, onde o indivíduo estiver associado. A peça tem a duração de 1 hora, onde o colectivo leva o público a assistir, no início, a uma curta-metragem, ilustrando a vida do casal no namoro até ao nascimento da filha Neuma Vieira”, acrescentou Cristóvão. Outrossim, além de Luciano, Claudeth e Neuma Vieira, a peça vai contar com os personagens Dona Fátima, Pastor André e Joelma.

É de referir que a peça é adaptada por Cristóvão Neto, com uma produção da agência CAMMODELS ANGOLA. “O espectáculo oferta na compra de dois bilhetes-cocktails. É importante dizer que o autor do livro fará a comercialização do mesmo 2 horas antes do espectáculo, no local, com direito a autógrafo e sessão fotográfica”, fez saber. Importa frisar que o colectivo de artes 1.º de Maio fundado a 26 de Setembro de 2009, em Luanda, actualmente sediado no distrito da Maianga, no Cassenda, no interior do Colégio Anuarite, tem mais de 18 peças e 4 por serem estreiadas.

error: Content is protected !!