Oposição protesta eleição do novo presidente da CNE

Partidos políticos na oposição pedem anulação do processo de eleição do novo presidente da comissão Nacional Eleitoral (cNE), manuel Pereira da Silva, por não reunir consenso

POR: Neusa Filipe/ Maria Custódia

O presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, defendeu, na Quinta- feira,16, em Luanda, a anulação do concurso da Comissão Nacional Eleitoral (CNE) que elegeu Manuel Pereira da Silva como seu presidente. O político questionou o que leva as instituições actuais a nomearem para o cargo de presidente da CNE um cidadão contestado e envolto em polémicas. Considera este acto como sendo um péssimo indício perante os desafios de credibilidade e transparência dos processos eleitorais.

A seu ver, o interesse público foi sufocado pelos interesses privados e de grupo. Por essa razão, deveria ser obrigatória a anulação do concurso em respeito ao Estado democrático de direito que todos pretendem edificar no  país. O presidente do Partido de Renovação social (PRS), Benedito Daniel, referiu que o candidato eleito não assumiu a idoneidade e a neutralidade enquanto esteve a dirigir o Conselho Provincial Eleitoral de Luanda e nem apresentou bons resultados. Defende que, para um cargo dessa natureza, o candidato a ser escolhido deve oferecer alguma neutralidade e idoneidade. “Infelizmente, o juiz Pereira da Silva não oferece isso. Ainda que pudesse ter esse desejo, mas onde ele passou não apresentou resultados dessa natureza.

O próprio concurso foi seguido de várias irregularidades e não reuniu consenso dos partidos políticos nem pouco da sociedade civil. Houve algum favorecimento da sua parte”, disse Benedito Daniel. O presidente do grupo parlamentar da CASA-CE, Alexandre Sebastiao André, disse tratar-se de uma indicação e não eleição, pelo facto de o candidato não reunir consenso das forças vivas do país. Pede que o processo seja anulado e realizado um concurso público com maior pendor da sociedade civil e da classe eclesiástica.

“Se olharmos para o histórico do próprio candidato, veremos que o seu nome é muito vinculado a escândalos. Nós, CASACE, não estamos a favor da sua indicação”, disse, defendendo a independência da CNE e de outros órgãos da administração das eleições. Manuel Pereira da Silva venceu com 87 pontos. Participaram do concurso Avelino Yululu, 48 pontos, Agostinho António Santos, 54 pontos e Diogo Jorge Bessa, 61 pontos. O concurso para a escolha do novo presidente da CNE foi aberto em Março do ano passado.

error: Content is protected !!