Editorial: O mês do castigo

Jornal OPaís edição 1722 de 20/01/2020

Em Angola paga-se uma autêntica injustiça que se chama confirmação de matrícula, pelo menos pelos valores que se cobra, é pior que qualquer coisa que um vigarista de rua faça. E o Estado não intervém. Depois, a família ainda paga a matrícula e nas escolas privadas toda uma montanha de invenções que vão de equipamentos a piscinas e aulas de línguas que não existirão ao longo do ano. Ao mesmo tempo, neste mês de Janeiro, o Estado cobra a Taxa de Circulação, impostos, o atestado médico para o recebimento militar e tudo o mais que lhe apetecer. E costuma também ser a altura escolhida para a subida de preços. Para muitas famílias angolanas, este não é apenas o mês do início do ano, é o do início do calvário.

error: Content is protected !!