INADEC detecta 27 mil e 500 medicamentos expirados na clínica Sagrada Esperança

Entre os fármacos fora de prazo encontram-se comprimidos, injectáveis, xaropes, reagentes para análises laboratoriais e soros, expirados entre 2018 e 2019. Os produtos foram encontrados na clínica Sagrada Esperança em Luanda e nas províncias da Huíla, Lunda-Sul e Benguela

Segundo uma nota informativa publicada no site oficial do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor, ontem, 20 de Janeiro, uma denúncia presencial, feita nos seus serviços em Luanda, revelou a existência de medicamentos expirados na Clínica Sagrada Esperança em Luanda, “numa quantidade de 26.472 (Vinte Seis Mil, Quatrocentos e Setenta e Duas) unidades de medicamentos diversos, além das 14 unidades de água para preparação de injectáveis expiradas desde Dezembro de 2019, pertencen
tes ao Lote nº. 18N008702, encontrados a serem comercializados na Farmácia da referida Unidade hospitalar.

Assim, continua a nota, “após a denúncia, alargamos o acto de prevenção para as províncias da Huíla, Lunda-Sul e Benguela, onde foram identificados, nas áreas de Farmácia, Laboratório, Sala de tratamento e no armazém,1034 (Mil e Trinta e Quatro) unidades na filial da Província da Huíla e 03 unidades na filial da Lunda-Sul, que, somados, perfazem um total geral de 27.523 (Vinte Sete Mil e Quinhentas e Vinte e Três) unidades de produtos fármacos expirados”.

Entre os fármacos apreendidos (em datas não especificadas), encontram-se comprimidos, injectáveis, xaropes, reagentes para análises laboratoriais e soros, expirados entre 2018 e 2019. O INADEC adianta, entretanto, que os fármacos apreendidos, serão” devidamente inutilizados” e que à clínica serão aplicadas as competentes sanções, em obediência a Lei n.º 15/03, de 22 de Julho – Lei de Defesa do Consumidor, o artigo 30.º da Constituição da República de Angola que traduz que: “‘O Estado respeita e protege a vida da pessoa humana, que é inviolável, e outras legislações conexas’”.

error: Content is protected !!