Angola busca passe para os Jogos Paralímpicos de Tóquio

Depois de o Reino de Marrocos ter cancelado a primeira edição dos Jogos Paralímpicos Africanos, selectivo para os Jogos de Tóquio, Japão, Angola procura o apuramento em torneios internacionais do Brasil, Dubai e Nigéria

O secretário-geral do Comité Paralímpico Angolano (CPA), António da Luz, disse ontem a O PAÍS que Angola terá de participar nos torneios internacionais para conseguir o passe para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, Japão. António da Luz garantiu que o Egipto vai organizar em Março, em Port Said, um torneio internacional de Goalball, ao passo que o Brasil acolhe provas de atletismo.

O responsável acrescenta que Dubai, em Março e Tunísia, em Junho, também serão palcos de competições de atletismo, além da Nigéria que vai organizar o Campeonato do Mundo de Halterofilismo. António da Luz reiterou que as competições supracitadas são selectivas aos Jogos de Tóquio.A mesma fonte garantiu que o Comité Paralímpico está a criar todas as condições de modo a que os representantes nacionais possam conseguir o apuramento.

Segundo o documento a que O PAÍS teve acesso, a decisão da realização da primeira edição desta competição exclusiva a atletas adaptados saiu da Conferência de Ministros dos Desportos e Cultura da União Africana, que teve lugar em Outubro de 2018, na Argélia. De realçar, que África é o único continente que não organiza Jogos Paralímpicos. Basquetebol em cadeiras de rodas, atletismo, futebol com muletas, halterofilismo só para citar algumas modalidades que o CPA movimenta.

error: Content is protected !!