IGAE: combate à pequena corrupção leva à detenção de 29 cidadãos

No quadro das suas atribuições, de Agosto a Dezembro de 2019, a Inspecção Geral de Administração de Estado (IGAE) registou, no âmbito do combate à pequena corrupção, 69 casos de corrupção, 112 casos de mau atendimento ao público, 38 casos de extorsão e 12 casos de peculato, que resultaram em 29 detenções

A informação foi avançada ontem, em Luanda, pelo inspector-geral adjunto da IGAE, Eduardo Clemente Augusto, no acto do lançamento de um novo call center, com o número 119, para denunciar de forma anônima, ou pública, o mau atendimento nas instituições do Estado. As chamadas ao novo número são gratuitas, estando disponíveis dezasseis linhas multidimensionais. O anterior possuía apenas duas linhas telefónicas e tinha custos para os usuários. O novo call center fará o encaminhamento das chamadas para o 111, número do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), com o qual poderá trabalhar em conexão. O ministro do Interior, Eugénio Laborinho, prestigiou o acto e encorajou, na ocasião, os órgãos competentes do Estado a posicionarem- se na linha da frente para o combate à corrupção, empregando todos os esforços possíveis para revelar todos os males que enfermam a administração pública em geral. O governante sublinhou que o sucesso que tem sido alcançado pela IGAE na luta contra a corrupção representa uma victória que “honra igualmente” o Ministério do Interior (MININT). O sistema modernizado do novo call center da IGAE não só atenderá um maior número de denúncias, como dará também qualidade no tratamento das mesmas.

Acções do Executivo serão mais fiscalizadas

O inspector-geral adjunto da IGAE, Eduardo Clemente Augusto, referiu que a inauguração desse novo call center vai permitir ao cidadão avaliar e fiscalizar a acção do Executivo e dos seus agentes. “Trata-se de um serviço que vai dinamizar e tornar as acções do Executivo cada vez mais escrutinadas”, disse o responsável. Informou que, de Agosto a Dezembro de 2019, a IGAE registou, no âmbito de combate à pequena corrupção, 69 casos de corrupção, 112 casos de mau atendimento ao público, 38 casos de extorsão e 12 casos de peculato, que resultaram em 29 detenções. Relativamente aos casos dos funcionários apanhados em situação de corrupção, sublinhou que os actos correspondentes a uma infracção penal foram encaminhados para os órgãos competentes, e, nos outros de carácter disciplinar, a IGAE promoveu o processo junto do órgão para que possa sancionar o trabalhador.

error: Content is protected !!