Aposta no Atendimento por agendamento eletrónico desafoga a rede SIAC

Por via do atendimento electrónico, o director da instituição, Anselmo Monteiro, disse que os cidadãos podem requerer todo o tipo de serviços que a rede pública oferece, entre os quais o bilhete de identidade, registo civil, registo automóvel, livretes e carta de condução

De forma a desafogar as enchentes e atender o público trabalhador, o Serviço Integrado de Atendimento ao Cidadão (SIAC) apostou no atendimento por agendamento electrónico, um procedimento feito através do site da referida instituição, tutelada pelo Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS). O director do SIAC, Anselmo Monteiro, disse que o serviço visa atender, de forma personalizada e eficiente, o público que, ao longo do dia, não tem tempo para comparecer nas dependências da instituição.

No entanto, por via do atendimento electrónico, Anselmo Monteiro frisou que os cidadãos podem requerer todo o tipo de serviços que a rede pública oferece, dos quais destacam-se o bilhete de identidade, registo civil, registo automóvel, livretes e carta de condução. Segundo o responsável, a implementação deste serviço tem permitido que a rede tenha menos enchentes. Conforme explicou, a nível dos serviços, actualmente, toda a rede SIAC atende, diariamente, cerca de 14 mil e 500
utentes, com um tempo médio de espera entre os 10 e os 15 minutos.

Para o tratamento do bilhete de identidade, a nível de Luanda, são precisas apenas 48 horas. Já noutras províncias, notou, esse período pode alargar-se um pouco mais. De acordo com Anselmo Monteiro, em 2019 foram emitidos, em toda a rede, um total de 287 mil bilhetes. “Temos vindo a minimizar o impacto sobre as nossas infra-estruturas. Durante algum tempo houve problemas logísticos, mas conseguimos superar esses problemas.

E, como é óbvio, as pessoas estão ávidas para resolver os seus problemas, mas temos dado respostas na medida do possível”, frisou. Outras das preocupações que a rede tem vindo a registar é o abandono de documentos por parte de alguns cidadãos. A título de exemplo, actualmente, a instituição tem mais de 8 mil registos automóveis por se levantar. “Temos um acumulado de cartas e livretes que foram emitidos no passado. Com o novo sistema que se implementou, via SMS, tão logo o cidadão recepciona a mensagem, dirige-se logo aos nossos balcões para retirar a sua documentação”, explicou.

error: Content is protected !!