Avicultores querem retomar a actividade

Pelo menos 50 pequenos e médios avicultores forçados a paralisar a actividade avícola, tendo em conta a crise económica, querem reiniciar a produção, deu a conhecer o presidente de Associação dos Avicultores de Angola (ANAV), rui Santos

Rui Santos acredita ser uma boa iniciativa dos avicultores, pois irá contribuir para a diversificação económica no país e aumentar os níveis de produção do produto. Segundo ele, há um grande número de aviários que encerraram nos últimos anos, por esse motivo, está a ser feito um contacto com bancos, através de uma cooperativa, para que concedam crédito bancário aos avicultores que pretendem retomar a actividade avícola e aumentar a produção de ovos no país.

“Temos registos de avicultores que pretendem reactivar os projectos e aumentar o efectivo de aves. O encerramento de aviários encarece o preço dos ovos”, explica. O representante da Associação referiu que a principal queixa dos avicultores continua a ser a falta de financiamento, de matéria-prima, concretamente a farinha de peixe, que é comprada na província de Benguela e muitas vezes é vendida ao exterior, deixando os nacionais sem o produto, o que condiciona a produção de ovos. Sobre a venda, o empresário e também avicultor avançou que os comerciantes têm tido maior lucro em relação aos produtores, pelo facto de adquirirem ovo “feito” e não terem dificuldades na aquisição da matéria-prima ou outra situação.

“Os avicultores enfrentam grandes barreiras, enquanto os comerciantes têm tido lucros na margem de mais de 50%, porque a sua única tarefa concentra-se na comercialização”, explica.

Para Rui Santos, é importante que os produtores nacionais apostem na cultura da produção de cereais, como é o caso do milho, em grande escala, para atendem a procura do produto, ressaltando ser fundamental apostar também em equipamentos de última geração O primeiro censo avícola, que aconteceu em 2017, revelou que em todo o país eram produzidos 733. 656 (setecentos e trinta e três mil, seiscentos e cinquenta e seis) ovos por dia. Luanda liderava a produção de ovos com 19 milhões 171 mil. Já as províncias do Cuanza-Sul, Benguela, Bié, Huíla e Huambo produziam um total de 16 milhões 352 mil 960, somando 36.507.232 em todo o país.

error: Content is protected !!