Jovem negra foi “apagada” numa foto com activistas ao lado de Greta Thunberg

Vanessa Nakate, activista climática do Uganda, denunciou ter sido “apagada” de uma imagem onde surgia ao lado de várias activistas brancas na cimeira de Davos

“O que é ser removida de uma foto”. Foi esta frase que Vanessa Nakate, 23 anos, escreveu junto de uma mensagem vídeo, na rede social Twitter, na qual diz que agora compreende “a definição da palavra racismo”. Em causa, uma fotografia tirada com outras quatro activistas pelo clima – a jovem sueca Greta Thunberg, Loukina Tille, Luisa Neubauer e Isabelle Axelsson – após uma conferência de imprensa conjunta, na Sexta-feira, em Davos, no âmbito do Fórum Económico Mundial.

Qual não foi o seu espanto quando viu que não aparecia na imagem divulgada publicamente. Nakate disse que “várias” agências, incluindo a agência de notícias AP dos Estado Unidos, a removeram da fotografia original. “Nós não merecemos isso. A África é o continente menos emissora de carbono, mas somos os mais afectados pela crise climática… Apagarem as nossas vozes não vai mudar nada. Apagar as nossas histórias não vai mudar nada”, critica. “Não apagaram só uma foto. Apagaram um continente. Mas eu estou mais forte do que nunca”, sublinha a jovem activista.

“O fotógrafo estava a tirar uma foto dentro de um prazo apertado, e recortou-a unicamente por motivos de composição, porque achou que o prédio ao fundo era um elemento perturbador”, justificou o director de fotografia da agência de notícias AP, David Ake, citado pela BBC News. A agência já removeu a fotografia da polémica e divulgou a imagem original, referindo que foi “sem má intenção”. Vários apoiantes de Nakate e defensores do clima manifestaram o seu apoio à denúncia da activista do Uganda. “Sinto muito que eles tenham feito isso contigo … és a última que merece isso! Estamos todos muito agradecidos pelo que estão a fazer e todos enviamos amor e apoio”, escreveu Greta Thunberg

Jornal de Notícias

error: Content is protected !!