Coreógrafa angolana representa angola no Festival Internacional de Dança de Ouagadougou

O Festival é uma plataforma que visa contribuir actualmente para transformar o olhar sobre a dança no continente africano, segundo Jorge António, produtor da Companhia de Dança Contemporânea de Angola (CDCA)

A coreógrafa e directora artística da Companhia de Dança Contemporânea de Angola, Ana Clara Guerra Marques, representa Angola no VIII Edição do FIDO – Festival Internacional de Dança de Ouagadougou, no Burkina Faso, que decorre desde Sábado, 25 de Janeiro, e vai até 1 de Fevereiro próximo. Segundo o produtor da CDCA, Jorge António, a participação de Ana Clara Guerra Marques no evento surge a convite da directora artística do festival, a coreógrafa, Irene Tassembé, e foi baseado na sua grande admiração pelo trabalho desta coreógrafa angolana, desenvolvido ao longo de cerca de três décadas, enquanto bailarina e coreógrafa, professora e investigadora no país e no estrangeiro.

Ana Clara Guerra Marques é a convidada de honra para amadrinhar a próxima edição de 2020, em companhia do bailarino e coreógrafo de Côte d’Ivoire Georges Momboye.

Para dar mais sustentação ao evento, foram agendados encontros com a nova geração de bailarinos africanos presentes em Ouagadougou, com os quais Ana Clara falará sobre a sua carreira e sobre o trabalho inovador desenvolvido com a Companhia de Dança Contemporânea de Angola, visando a abertura de novos caminhos para a dança em Angola e em África. Este prestigiado Festival é uma plataforma que contribui actualmente para transformar o olhar sobre a dança no continente africano. O evento reúne bailarinos e coreógrafos de todo o mundo, com vista à aproximação entre as diversas linguagens e opções estéticas, utilizando a partilha e o contacto entre as diferentes realidades artísticas e sociais como um dos mais importantes motores do desenvolvimento artístico.

A coreógrafa Ana Clara Guerra Marques, uma das pioneiras da dança contemporânea africana, iniciou os seus estudos em dança na Academia de Bailado de Angola em 1970 e, em 1978, passou a dirigir a única Escola de Dança existente no país, actividade que desenvolve a par da docência. Mestre em Performance Artística – Dança com a tese «Sobre os Akixi a Kuhangana entre os Tucokwe de Angola: A performance coreográfica das máscaras de dança Mwana Phwo e Cihongo», pela Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa. Licenciada em Dança – Especialidade de Pedagogia, pela Escola Superior de Dança de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa.

Autora dos livros “A Alquimia da Dança” (1999), “A Companhia de Dança Contemporânea de Angola” (2003) e “Para uma História da Dança em Angola – Entre a Escola e a Companhia: Um Percurso pedagógico” (2008), entre outros. Da sua estratégia para a defesa e projecção da dança enquanto linguagem artística e arte performativa em Angola, fazem parte a sua prática como bailarina e coreógrafa, fundando em 1991 a Companhia de Dança Contemporânea de Angola, a primeira companhia profissional em Angola (e uma das primeiras em África). Numa diversificação das linguagens da dança, baseia-se num trabalho pessoal de investigação sobre danças patrimoniais de Angola em risco de extinção e as dinâmicas sociais do país.

 

error: Content is protected !!