Secretário da UNITA em Benguela preocupado com contínuos casos de intolerância política

O secretário provincial da UNITA em Benguela, Abílio Kaunda, considera inconcebível que, decorridos 18 anos depois do alcance da paz efectiva em Angola, a província de Benguela tenha ainda hoje focos de intolerância política, fundamentalmente no interior, daí ele se mostrar muito apreensivo

POR: Constantino Eduardo, em Benguela

Para além da questão da intolerância política, para a qual apela às autoridades que responsabilizem os infractores, Abílio Kaunda diz não ter igualmente gostado do quadro social em que se encontra boa parte da população nos municípios do interior. O político fez o seu primeiro périplo pelo interior da província desde que foi investido no cargo de secretário provincial executivo, por via de um despacho do presidente do partido, com o objectivo de retransmitir as orientações saídas XIII congresso. De acordo com Abílio, a realidade constatada consubstancia-se em estradas terciárias e secundárias degradadas, problemas que se prendem com o abastecimento de água, saneamento básico, além da subida galopante dos preços, que retirou, em certa medida, o poder de compra ao cidadão.

“O que constitui uma grande preocupação e devia despertar atenção dos governantes. É de lamentar”, disse, apelando àquilo a que ele chama de políticas consentâneas, a fim de se resolver os problemas prementes das comunidades. O secretário provincial manifesta- se insatisfeito por ainda persistirem focos de intolerância política no interior, com destaque para os municípios do Bocoio, Balombo, Cubal e Ganda. O político questiona as razões de ainda haver casos desta natureza, considerando, contudo, ser altura de os angolanos “trabalharem para apaziguar os espíritos”. Neste diapasão, alerta para a necessidade de não se pôr em causa a paz duramente conquistada, por isso defende a ideia de responsabilização criminal dos promotores destas práticas. Terminado que está o périplo pelo interior, a direcção da UNITA em Benguela tem, agora, as baterias direccionadas para os municípios do litoral, tendo visitado já o Hospital Geral de Benguela e constatado um quadro descrito como preocupante. Mas, sobre o assunto, Kaunda promete elaborar um relatório exaustivo nos próximos dias. “As preocupações vamos levá-las ao conhecimento de quem de direito”, realça.

Redinamizar as estruturas de base

O homem a quem Adalberto Costa Júnior confiou a condução da UNITA em Benguela afirma, neste momento, que está empenhado na redinamização e reestruturação das bases, a julgar pela filosofia da nova direcção eleita no XIII. Abílio Kaunda realça que as reformas em curso no partido são movidas pelos desafios políticos que a agremiação política tem, um dos quais, as eleições autárquicas previstas para este ano, conforme deliberação do Conselho da República, órgão de consulta do PR.

error: Content is protected !!